6 estratégias para fugir de fraudes financeiras

Que existem pessoas mal intencionadas querendo tirar vantagem de outras todos sabemos. E, nos últimos tempos, neste difícil período de pandemia, cresce o número daqueles que têm sido enganados pelas chamadas fraudes financeiras.

Você sabe como se proteger?

Aqui vamos falar sobre as mais usuais e a partir daí orientá-lo sobre atitudes a tomar. Vem comigo!

O que é uma fraude financeira?

Fraude financeira é um tipo de golpe. Uma ação criada com o objetivo de enganar o outro para receber dinheiro ou bens que o outro não entregaria se soubesse toda a verdade. 

Em suma, toda vez que alguém é enganado para tomar uma atitude financeira, acreditando que isso vai gerar um ganho/benefício para ele, podemos considerar isso como fraude.

Geralmente, os bandidos se aproveitam da boa fé da pessoa ou, infelizmente, do desespero que a vítima possa estar por causa de uma situação de dívidas própria ou de algum familiar.

Quais são as fraudes mais comuns?

– E-mails/telefonemas solicitando dados pessoais

Bandidos enviam e-mails em nome de empresas conhecidas com links solicitando que sejam adicionadas informações pessoais para possíveis atualizações. Muitas vezes, os e-mails são muito parecidos com os das empresas oficiais, imitando até cores e logomarcas.

– Clonagem do cartão de crédito ou débito

Muito comum nos dias de hoje, geralmente acontece quando outra pessoa tem acesso ao cartão e o utiliza de forma indevida em nome do proprietário. Pode ser via foto ou até mesmo anotando os dados do usuário desatento. Ou ainda roubando o cartão do desavisado.

– Empréstimo solicitando pagamento de depósito inicial

Muitas pessoas já se viram enganadas neste tipo de negociação. Em busca de empréstimos rápidos e sem muitas consultas, visto que, às vezes, está negativada, ela busca por empréstimos em instituições aparentemente “boazinhas”, que, na verdade, são é desonestas. Costumam cobrar um valor de depósito inicial para liberar o empréstimo. 

Infelizmente, no final, a pessoa percebe que foi enganada, pois o empréstimo não foi disponibilizado e não consegue receber de volta o valor pago antecipadamente. 

– Sites falsos, geralmente de vendas

Muito comuns em épocas de grandes vendas, tais como natal, black friday e outras datas festivas, verdadeiros sites são criados com o único objetivo de extorquir. Oferecem produtos com preços muito abaixo do valor para atrair inocentes. 

Após fazer a compra e pagar por ela, o cliente acaba por não receber o produto e só ouve desculpas esfarrapadas, isso quando recebe algum retorno.

– Golpe do auxílio emergencial

Tem acontecido por meio de links falsos no whatsapp ou criadores de aplicativos mal intencionados que pegam os dados da pessoa. Propagandas com ofertas irrecusáveis também são utilizadas. 

Após a pessoa clicar naquele link aparentemente inofensivo, malwares, isto é, programas maliciosos se instalam no computador ou celular do usuário para roubar dados e fazer assim o cadastro no sistema da Caixa.

Veja, então, seis estratégias simples e que podem livrá-lo de verdadeiras ciladas no dia a dia.

1ª – Nunca passe suas senhas a estranhos

Elas são pessoais e intransferíveis. Se solicitarem seus dados e senhas, alegando algum tipo de atualização, desconfie. Instituições sérias nunca lhe pedirão para repassar sua senha pessoal para eles. Cuidado ao receber “ajuda” de estranhos. 

É melhor aguardar por um funcionário do banco ou, até mesmo, um familiar. Outra coisa fundamental é não acessar bancos e outros que necessitem de dados pessoais em internets públicas com wifi liberado. Muitos bandidos ficam à espreita para roubar dados.

Pense dez vezes antes de sair clicando em um link. Se tiver realmente interesse em ler sobre aquilo ou conseguir mais informações, vá direto ao site oficial da empresa. 

Desconfie de muitas facilidades, promoções imperdíveis e o tal negócio da china. Analise antes e pesquise sempre para ver se as informações são verdadeiras. Links de promoções via whatsapp ou SMS nunca devem ser clicados.

3ª – Nunca faça depósitos antecipados se estiver precisando de algum tipo de empréstimo

Procure instituições consolidadas. Se no último caso, não aceitarem oferecer o empréstimo, por você estar negativado, procure ajuda de familiares e amigos ou busque por renegociações da dívida diretamente nos bancos.

4ª – Cuidado com a instalação de aplicativos

Muitos podem conter vírus. Procure pesquisar antes, ler comentários nas lojas de aplicativos e consultar amigos que entendam um pouco mais de assuntos de tecnologia. Na dúvida, siga sua intuição e não instale. 

Em se tratando dos benefícios do auxílio emergencial, procure instalar os aplicativos oficiais da Caixa, como o Caixa TEM e busque orientação no site oficial da Caixa: www.auxilio.caixa.gov.br ou via telefone 111. Não passe seu CPF e dados pessoais a qualquer um.

5ª – Atenção ao pagar por compras utilizando o cartão

Preste atenção nos valores digitados e esteja atento para não deixar ninguém sair de seu campo de visão com o seu cartão em mãos. 

Pode parecer exagero, mas já aconteceram casos em que um atendente desonesto fotografou dados do cartão de um cliente para usá-lo em outro momento para compras indevidas. Acompanhe sempre seu extrato. Preste atenção se reconhece todos os valores lançados. 

Caso identifique algo que não procede, entre em contato imediatamente com o banco ou instituição emissora do cartão, informando que não reconhece aquela compra. Muito cuidado com cartões, sejam eles de banco, crédito ou débito.

6ª – Confira se o site é seguro antes de efetuar qualquer tipo de compra virtual

Para verificar se ele é seguro, procure observar se a empresa possui ao fim da página, selos de certificados de segurança, pois estes garantem a proteção de seus dados. Um outro jeito é verificar o domínio. Quando existe o termo “https” é um sinal de compra segura. Vale a pena conferir também a reputação da empresa em sites de reclamação.

Para fechar, nunca é demais repetir: tenha atenção e desconfie de coisas muito fáceis

Como dizem, o que cai do céu é somente chuva. Fique esperto…dinheiro não cai do céu, então precisamos cuidar bem dele. Se o golpe já tiver acontecido e, infelizmente, você tiver sido vítima, procure as autoridades competentes. 

Dependendo do tipo de golpe, procure o Procon; a Polícia civil para registrar um boletim de ocorrência; ou, ainda, o Juizado Especial Civil (JEC), nele não é preciso a presença de um advogado para conseguir ajuda legal. 

Se for algo relacionado aos auxílios da Caixa, acesse o site do Ministério da Cidadania e faça a denúncia por meio dos canais disponíveis ou vá pessoalmente a uma das agências da Caixa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *