Autoconhecimento: a beleza de conhecer a si mesmo

Conhecer a si mesmo, se não for o maior, está entre os maiores desafios da história da humanidade. No entanto, não podemos nos atemorizar pela dificuldade. É preciso que, dia após dia, façamos este exercício – Autoconhecimento. Para isso, podemos seguir alguns caminhos. Vem comigo!

O que significa conhecer?

Para chegarmos nesta resposta, é importante buscar auxílio no significado da palavra. Dentre as muitas possibilidades que o dicionário Aurélio nos oferece para ela, a que nos interessa aqui é

Fazer com que alguma coisa seja inserida no conhecimento (memória) de alguém; passar a saber”.

É com esta percepção da palavra que vamos caminhar… Deixe-me explicar melhor com um exemplo. Imagine que você deseja conhecer uma nova língua: inglês, por exemplo; para isso, você precisará seguir passos essenciais. Veja:

  • Dedicar-se e tirar um tempo para conhecer a nova língua. Isso significa ouvir e ler coisas em inglês; perceber como funciona a gramática; gastar tempo com a nova empreitada.
  • Fazer exercícios diários. Só com a prática algo passa a se tornar aplicável em nosso dia a dia.
  • Policiar-se para não ficar fazendo comparações. Não dá para ficar comparando o tempo todo com o português, pois muitas estruturas linguísticas não se comportam da mesma forma. Tem uma certa similaridade, mas não pode ser comparada o tempo todo. 
  • Pode ser necessária a ajuda de uma outra pessoa. Não é regra, mas pode ser necessário fazer aula com um professor particular ou entrar em um curso de inglês. Com a ajuda do outro, pode ficar mais fácil aprender esta nova língua.

Só com estes passos, já percebemos que para conhecer algo, inserindo na memória, não é tão fácil assim. Conhecer significa envolver-se, exercitar-se em determinada atividade e, principalmente, desejar ir além. Deve haver um querer fundamental que movimenta esses exercícios todos.

Como aplicar isso para o autoconhecimento? 

Se enxergamos o nosso desejo de nos autoconhecermos como uma riqueza, como algo belo, podemos transferir para nós os mesmos passos feitos para o conhecimento de uma nova língua. Vejamos:

#1 Dedique-se a tirar um tempo para conhecer a si mesmo

Tire tempo no seu dia para refletir a seu respeito. Olhe para a sua história de vida, como foi sua infância? Quais as lembranças que você tem ou não dela? Olhe, também, para o seu momento presente e, por fim, analise o que você deseja para o futuro.

Reflita, ainda, sobre como é o seu temperamento e a sua personalidade. Como você interage com as pessoas…é mais introspectivo ou extrovertido?

O que gosta e o que não gosta de fazer no dia a dia? 

É preciso olhar para si mesmo e analisar reações, emoções, medos, alegrias, valores e isso demanda tempo.

Se não pararmos um período do dia para refletir, nunca avançaremos no autoconhecimento. Vamos continuar fazendo sempre as mesmas coisas e, às vezes, buscando resultados diferentes…impossível.

#2 Faça exercícios diários

Como exercícios para o autoconhecimento temos: – listar pelo menos cinco qualidades que você reconhece em si mesmo; – listar pelo menos cinco fraquezas que você também consegue reconhecer em si mesmo. Isso ajuda em nossa autoestima.

Nos primeiros exercícios, você vai perceber  que há uma facilidade enorme em encontrar os defeitos e uma certa dificuldade com as qualidades, mas é essencial perseverar neste exercício, pois à medida que avança você vai aprendendo a trabalhar/diminuir as fraquezas; e, entendendo as qualidades, aprende a explorar e valorizar melhor seus talentos.

Outro exercício é listar a emoção que está sentindo e buscar entender o motivo por trás dela. Por exemplo: se você está com raiva ou bravo com alguém, é importante tentar entender o motivo disso. O que o outro fez ou não fez que desencadeou este tipo de emoção? Por que você queria que fosse diferente? Será que você está realmente certo? Tente se colocar no lugar do outro.

Um outro exercício é perguntar-se constantemente: o que é essencial para mim? Do que eu não abro mão na minha vida? O que realmente me faz feliz? Este exercício pode ser feito diariamente focando nas atividades daquele dia. O que é essencial para mim no dia de hoje? O que não abro mão?

#3 Policie-se para não ficar fazendo comparações

Cada um de nós é único e tem o seu jeito de enxergar a vida e que, muitas vezes, é resultante da história vivida, das relações e das impressões que foram deixadas em nós pelos diferentes contatos e experiências familiares ou sociais. Aí se encontram experiências positivas e outras negativas. Saber respeitar isso é essencial.

Toda vez que fico me comparando ao outro, desconsidero esta grande verdade. Não é por que o outro é falante e extrovertido que também preciso ser. Ainda mais, Não preciso ter as mesmas coisas que o meu amigo tem. Não preciso ser uma cópia do outro. Preciso enxergar a beleza de ser eu mesmo.

Uma vez, li uma frase de um autor desconhecido e que me chamou a atenção: Só quem carrega o próprio balde sabe o valor de cada gota d’água! Isso é fundamental ter em mente. Cada um tem sua própria história e precisa respeitar e valorizar isso.

É preciso ter coragem de carregar o próprio balde e  não querer carregar o balde de outrem. Enxergar a beleza e importância do seu e, claro, aprender como carregá-lo. Então, percebemos que, na verdade, o balde representa nada mais nada menos que a vida, o bem mais precioso que possuímos.

#4 Pode ser necessária a ajuda de uma outra pessoa

Somos seres em construção e o outro nos ajuda neste processo. Se perceber que existe esta necessidade, busque um bom amigo que te conheça há um bom tempo e que tenha coragem de falar, externar o que enxerga sobre sobre você.

Um olhar de fora pode nos ajudar a enxergar melhor qualidades e fraquezas.

Não confie em qualquer um; faça uma análise sobre quem poderia realmente desempenhar este papel. Alguém que você confie e acredite que não vai falar só o que você gostaria de ouvir.

O bom amigo fala o que é melhor para nós independente se isso é bom ou não para os nossos ouvidos.

No entanto, é essencial também saber filtrar. Não é por que o outro falou que te enxerga de tal forma que isso é a realidade. O olhar do outro é importante, mas a avaliação final cabe somente a você. Como sabemos, o autoconhecimento: a beleza de conhecer a si mesmo.


Aqui no Portal TargetDev você ainda pode ler:

Ser Gênio ou ser Disciplinado: qual você escolheria?

Entenda a importância do autoconhecimento e como isso pode ajudar a melhorar a sua vida


Pra fechar ou dar continuidade…

É importante entender que falar e refletir sobre autoconhecimento é algo contínuo e, às vezes, complexo, pois envolve muitas análises, reflexões e, claro, diferentes exercícios, mas já temos aqui bons passos para começarmos este caminho de encontro com nós mesmos. Vamos vivendo um dia de cada vez e não percamos de vista uma lição dada por Saint Exupery em seu livro O Pequeno Príncipe:

o essencial é invisível aos olhos”. Pergunte-se sempre: o que é essencial para mim?…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *