Como lidar com minhas fraquezas?

Todos nós possuímos limitações. Isso é uma realidade; mas, o que podemos fazer para lidar melhor com nossas fraquezas? Será que existe algum tipo de caminho a ser seguido ou passo a passo para trabalhá-las? Vamos refletir um pouco sobre isso.

Conhecendo nossas fraquezas…

Com certeza, vocês já ouviram uma frase que diz:

“inimigo que não se conhece não pode ser vencido”.

O que esta frase quer nos ensinar é que precisamos conhecer nossas fragilidades; isto é, colocá-las diante de nossos olhos para aprender a lidar com elas.

O enfrentamento é fundamental neste processo, pois, do contrário, vamos ficar dando voltas em círculos e sempre caindo nas mesmas armadilhas. Quando paramos e desmascaramos o que é fraco em nós fica, menos complexo trabalhar para modificar.

Você já se perguntou quais são suas fraquezas? O que te deixa vulnerável? Qual a sua “Kryptonita”?

Para identificar isso, é importante fazer comparações sobre momentos em que você se sente bem, feliz e como age e relacioná-los a outros momentos em que você está chateado, mal-humorado ou sem querer saber de nada. O que gerou isso em você? Você sabe responder?

Chamamos de fraquezas tudo aquilo que acaba nos tirando o norte, a visão de quem queremos e podemos ser…aquilo que nos tira de nosso “normal” e nos faz agir diferente do que gostaríamos.

Pode ser um vício. Pode ser um mau hábito. Pode ser um pensamento pessimista ou desistente diante das situações da vida. Pode ser também a pouca paciência para lidar com o outro (que é diferente de você) ou o fato de viver reclamando, dentre tantas outras fragilidades.

Só você, ao refletir, vai encontrar as suas respostas e perceber o que te enfraquece. Não tenha medo de fazer este exercício e de olhar para dentro de si mesmo. Após identificada a fraqueza, é preciso atacá-la/enfrentá-la de frente sem rodeios.

Traga a sua fragilidade para a Luz!

Na Bíblia Sagrada, na carta de São Paulo aos Romanos, no capítulo 7, versículo 19, tem uma frase que sempre me chama a atenção. Diz assim:

“Não faço o bem que quereria, mas o mal que não quero”

e sempre que a leio percebo que, tal qual o apóstolo Paulo que reconhecia a sua fraqueza, também precisamos fazer.

Ele entendeu que era fraco e que precisava de Deus. Todos nós somos limitados e, se não contarmos com a mão e graça de Deus, não damos conta sequer de sair do lugar.

Então, o caminho que lhe proponho é: apresente suas fraquezas para Deus. Peça a Ele que te ajude a enxergá-las e, consequentemente, lidar com elas. Com a luz de Deus, tudo fica mais claro e, com a sua força e sabedoria, somos capazes de encontrar respostas e saídas onde nem acreditávamos existir.

Confiemos a Deus nossas fraquezas. Ele nos conhece por inteiro, nos ama do jeito que somos e cuida de nós. Ele, mais do que nós mesmos, quer a nossa felicidade e vai nos ajudar a enfrentar toda e qualquer fragilidade que insiste em querer nos aprisionar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *