Como ser resiliente nos dias atuais?

O que é ser resiliente? Esta característica comportamental tão buscada nos dias de hoje não é fácil de ser vivida, mas pode ser aprendida por todos nós. Basta praticarmos. A partir de agora, vamos ver um pouco como fazer isso.

Pra começar, vejamos o que é ser resiliente?

A palavra resiliência é identificada como a capacidade que o ser humano tem de lidar com diferentes problemas, seja procurando se adaptar seja buscando superar os obstáculos que vão surgindo pelo caminho.

Toda vez que nos deparamos com uma pessoa, que mesmo sofrendo pressões, é capaz de se manter firme em seu objetivo estamos diante de uma pessoa resiliente.

Para conseguir este tipo de proeza, a pessoa vai desenvolvendo uma série de habilidades a partir do autoconhecimento e do enfrentamento de seus problemas e emoções.

A palavra resiliência vem da palavra latina “resilire” e significa voltar atrás.

O resiliente é aquele que volta na dificuldade para enfrentá-la. Encarando a de frente sem querer fugir  ou fazer de conta que não existe.

O resiliente olha para o problema que está passando, chora, sofre, mas levanta, sacode a poeira e pensa em formas de sair do problema.

Benefícios da resiliência

Na física, quando um material é resiliente significa que ele tem a capacidade de, após sofrer um impacto, retornar à sua forma original. Com o ser humano, já não é tão simples assim. Toda situação enfrentada deixa cicatrizes. A diferença é que a cicatriz pode se transformar em aprendizado dependendo da forma que tudo for enfrentado.

Quando se caminha em busca de exercitar este tipo de capacidade/habilidade, vamos aprendendo a lidar com pressões e com resultados que inicialmente não nos agradam. Vamos exercitando em nós um olhar mais flexível e criativo para tentar resolver de diferentes formas a situação vivida.

Neste período de pandemia, muitos têm demonstrado resiliência nas situações vividas. Pessoas que ficaram desempregadas têm encontrado dentro de si uma força empreendedora. Outros têm encontrado forças que nem imaginavam acreditar possuir em si mesmos para lidar com enfermidades suas e de amigos ou parentes.

O exercício da resiliência produz pessoas fortes, pessoas determinadas e decididas a se superar dia após dia, enfrentando os desafios que vão surgindo.

Na natureza, vemos um exemplo disso…o bambu. Ele embora seja fino, tem raízes profundas e é uma planta super resistente. Em meio a fortes ventanias, ele se dobra para um lado e para o outro, mas não quebra. Comparando ao ser humano, seria a capacidade da flexibilidade e da tolerância.

Como ser resiliente no dia a dia?

Para a vivência desta capacidade/habilidade, primeiro é imprescindível não ter medo do enfrentamento (de si mesmo e das situações que o rodeiam); depois, alguns caminhos podem ser seguidos. Por exemplo:

  • Acredite mais em si mesmo. Confie nas suas habilidades, qualidades, intuições e pensamentos. Procure avaliar como está sua autoestima e trabalhe neste sentido para aprimorá-la.
  • Exercite mais sua inteligência emocional. Procure conhecer suas emoções, equilibrá-las e controlá-las. As emoções são fundamentais para o ser humano, mas não podem controlá-lo. Do contrário, nos tornamos escravos de nossas vontades e sentimentos.
  • Seja mais flexível. Nem tudo precisa ser só do seu jeito. Há beleza e riqueza no jeito do outro também. Entender e respeitar o outro são grandes lições para a vida de todos.
  • Respire fundo em situações de pressão. Acredite…todos passam por isso. Respire fundo, busque relaxar e pense em formas de resolver a situação sem se deixar esmagar.
  • Seja persistente. Faça o exercício de iniciar algum projeto ou tomar uma decisão e seguir firme, mesmo diante das dificuldades. Situações virão tentando convencê-lo a desistir ou parar, mas siga firme em seus propósitos.
  • Seja otimista. Veja a vida com lentes de objetividade, mas também com esperança de que tudo vai dar certo. Se você se sente passando por uma tempestade, acredite que ela vai passar.
  • Não tenha medo de decidir. Decisões e escolhas fazem parte da vida. Se ficarmos sempre “em cima do muro”, perderemos a chance de sermos protagonistas em nossa própria vida. Não dê ao outro o direito de decidir por você!
  • Arrisque-se mais! De forma consciente e analisando todos os fatos, busque se expor mais e se arriscar também. Se der certo, será muito bom. Se não der, terá sido aprendizado para uma futura tentativa.

Quando passamos a olhar mais para a capacidade da resiliência, percebemos que há uma infinidade de motivos para exercitá-la em nosso dia a dia. Sejamos mais resilientes! Só temos a ganhar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *