Francisco, o Papa da Simplicidade

Em 17 de dezembro de 1936, em Buenos Aires – Argentina, nasceu Jorge Mario Bergoglio, mais conhecido por todos nós como Papa Francisco. Um cardeal que desde o início do seu chamado papal foi mostrando na prática o seu desejo de uma vida simples, de uma vida a exemplo de seu mestre: Jesus. Então, nada mais justo e coerente do que olharmos para ele assim: Francisco, o Papa da Simplicidade.

Quem é o Papa Francisco?

Homem de origens simples (pai contabilista e mãe, dona de casa que cuidava dos cinco filhos), Jorge Bergoglio estudou e se formou como Técnico Químico, mas logo seu coração foi se aquecendo pelo chamado ao sacerdócio. 

Nesta trajetória de busca de sua verdadeira vocação, em 1958, entrou para a Companhia de Jesus para dar início ao noviciado. E foi junto com os padres jesuítas que Deus foi o atraindo cada vez mais e fortalecendo seu chamado. 

Viveu diferentes experiências de formação em sua vida que foram se somando e construindo o seu jeito de olhar a vida e o ser humano. 

Foi arcebispo de Buenos Aires, mas também foi professor de Literatura e Psicologia, Reitor de colégio universitário, Pároco, Diretor espiritual e Confessor, possui doutorado e é autor de diferentes obras e a lista poderia continuar, pois é grande, mas em toda a sua história nunca perdeu de vista o essencial: Jesus. 

Papa Francisco almoça com 1,5 mil moradores de rua no Dia Mundial dos Pobres. Imagem de g1.globo.com

Quando foi eleito papa em março de 2013, levou consigo a frase marcante: “O meu povo é pobre e eu sou um deles”, frase dita, muitas vezes, por ele para justificar o seu desejo de uma vida simples. Escolheu morar na casa de hóspedes, chamada Casa Santa Marta, abrindo mão de residir nos apartamentos papais no Palácio Apostólico. 

O papa Francisco tem como um dos seus principais lemas que a igreja seja mais aberta e acolhedora, que saibamos viver mais a misericórdia, tal qual Jesus nos ensina. 

Coerente com sua fala são suas ações, pois frequentemente vemos o Papa Francisco indo ao encontro do Cristo no rosto do presidiário, das crianças e de inúmeras pessoas em diferentes realidades, seja de abandono ou exclusão. É o papa que entendeu que a melhor escolha é ir ao encontro do outro e fazer isso com misericórdia.

O que podemos aprender com ele?

Penso que muitas reflexões podemos fazer a respeito de sua história, suas palavras e exortações, mas a que ressalto hoje é a característica da simplicidade. 

O que é ser simples? Como trazer para a nossa vida a simplicidade? A primeira pergunta o próprio Dicionário Aurélio nos responde, pois simples é um adjetivo que é dado àquilo que “não tem ornatos ou elementos acrescentados, singelo”. 

E o que isso significa na prática? Significa ser você mesmo, com o seu jeito de ser, qualidades e fraquezas, pensamentos e valores… sem querer colocar ornatos, enfeites que o descaracterizem ou, até mesmo, colocar uma capa ou criar imagem diferente do que se é. 

A simplicidade é própria daqueles que não querem ficar complicando as situações, que são diretos e objetivos e que não buscam pelo em ovos. Fácil? De forma alguma, mas quem disse que a estrada da vida é fácil. Nos coloquemos a caminho…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *