Gestão de Pessoas e a Teoria de Maslow

O psicólogo Abraham Harold Maslow é um nome muito relevante para o dia a dia de todos nós. Alguns dos temas de seus estudos estão relacionados à gestão de pessoas das empresas e, principalmente, de quem trabalha com isso. É natural dizer que esses profissionais se preocupam com as pessoas. Ou seja, o material humano das organizações.

Gestão de Pessoas na Empresas

Não é novidade dizer que os profissionais do RH trabalham para entender como as pessoas se sentem e como elas se relacionam umas com as outras. Então, a teoria de Maslow nos ajuda a entender e viver neste ambiente.

Entre os estudos de Maslow, é claro que se destaca a “Pirâmide de Maslow“. Esta pirâmide consiste, basicamente, na seguinte estrutura:

Pirâmide de Maslow

  1. Na base da pirâmide, ou seja, o pedaço maior dela, estão as necessidades fisiológicas… coisas essenciais. Sem ela, não se pode subir para o segundo nível. Neste primeiro nível, se encontra, por exemplo:
    1. Respirar;
    2. Beber água;
    3. Alimentar; e
    4. Morar.
  2. Logo acima, está a camada da segurança, em que está a obrigatoriedade de se sentir seguro. Por exemplo:
    1. Ter uma renda ou um emprego;
    2. Viver numa família;
    3. Ter um plano de saúde ou cuidar bem da saúde; e
    4. Não se endividar e pagar as contas.
  3. A camada seguinte é ligada às questões sociais. Aqui, já se pode dizer que o básico da vida já foi superado. Vejamos os exemplos:
    1. Ter bons amigos. Pode ser poucos. Mas não abrir mão de amigos;
    2. Melhorar o convívio com a família; e
    3. Namorar e, se for casado, viver uma vida conjugal harmoniosa.
  4. Após isso, há o nível da estima. A pessoa que pula para esta parte da pirâmide, sem passar pelas camadas anteriores, tem uma tendência a se decepcionar ou fracassar nos sonhos. Alguns exemplos desta etapa são:
    1. Conquistas individuais, como uma promoção no trabalho, fazer uma atividade à noite que agrade e traga bem-estar;
    2. Busca da autoconfiança, ou seja, entender que sou capaz e que posso fazer a diferença no ambiente que vivo; e
    3. Autoestima.
  5. E, por último, está a realização pessoal:
    1. Autoavaliação. Nunca ficar acomodado. Sempre buscar por novidade e formação pessoal e espiritual;
    2. Ausência de preconceitos;
    3. Moralidade; e
    4. Criatividade. A vida pode ser bem mais do que um dia a dia confuso e sobrecarregado.

Onde você está na pirâmide de Maslow?

O estudo de Maslow, como pode ser visto acima, busca entender em que momento da pirâmide as pessoas estão. No campo empresarial, o setor de Recursos Humanos precisa estudar e ver em qual momento o colaborador está. Ver se ele está feliz ou não. Com isso, é possível trabalhar e chegar numa conclusão de quais são as melhores maneiras de fazer com que as pessoas evoluam na pirâmide.

Com o estudo da pirâmide de Maslow, e a prática na empresa, o RH terá em mãos um colaborador produtivo, e com isso, a vida pessoal dele também estará andando junto de forma harmoniosa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *