Inteligência Artificial: aliada ou ameaça?

A Inteligência Artificial (IA) é uma máquina que pensa que é humana e faz tudo o que a gente faz. Bom, na verdade, é quase isso, porque máquina não pensa e também não pode fazer tudo que a gente faz, não é mesmo? Ou será que pode?

Foto do site pexels.com

Surpreendentemente, uma máquina pode fazer coisas que até Deus duvida, se é que posso dizer assim. Coisas que nós não somos capazes de fazer com a mesma agilidade e precisão. 

No entanto, por mais incrível que pareça, a inteligência artificial não chegaria a tanto se não fosse o ser humano a dar essa capacidade a ela.

Mas, o que é a Inteligência Artificial? Para que ela serve? Precisamos ter medo dela?

Vou falar sobre tudo isso agora mesmo!

O que é Inteligência Artificial (IA)

A Inteligência Artificial é um avanço tecnológico. Ele permite que sistemas simulem uma inteligência similar à humana, tomando decisões de forma independente, precisa e apoiada em dados digitais. 

Do mesmo modo, podemos defini-la como um ramo da área da Ciência da Computação, que estuda como uma máquina pode simular a inteligência humana para resolver problemas diversos.

Portanto, Inteligência Artificial é a inteligência similar à humana exibida por sistemas de software, além de também ser um campo de estudo acadêmico.

O comportamento inteligente

Os sistemas de IA são regidos por algoritmos. Eles usam técnicas de várias áreas da ciência da computação, como Machine learning, deep learning  e processamento de linguagem natural, para demonstrar um comportamento “inteligente”. 

Vamos entender um pouco mais sobre eles e veremos que ensinar os computadores a pensar não é algo tão simples!

Machine learning

As inteligências baseadas em machine learning, ou aprendizado de máquinas, utilizam redes neurais, que são sistemas de computação com nós interconectados agindo como os neurônios humanos. 

Foto do site pixabay.com

Dessa forma, conseguem modificar seu comportamento de forma autônoma, a partir da própria experiência, advinda de treinamento da interação com dados e informações fornecidos pelo usuário da tecnologia.

Deep learning

As inteligências baseadas em deep learning (aprendizado profundo), por sua vez, utilizam grandes redes neurais, com diversas camadas de processamento. Por isso conseguem aprender padrões mais complexos e são capazes de processar uma quantidade muito maior de dados em menos tempo. 

Processamento de Linguagem Natural (PLN)

O Processamento de Linguagem Natural se direciona ao estudo e à tentativa de se reproduzir processos de desenvolvimento ligados ao funcionamento da linguagem humana. 

Dessa forma, com as inteligências baseadas em PLN, as máquinas podem compreender melhor os textos: reconhecimento de contexto, extração de informações, desenvolvimento de resumos etc. 

Além disso, é possível compor textos partindo de dados obtidos por computadores. Pode ser usado em áreas como atendimento ao consumidor e na produção de relatórios corporativos, por exemplo.

 A independência da Inteligência Artificial

A IA permite que os sistemas tomem decisões de forma independente, multiplicando a capacidade racional do ser humano de resolver problemas práticos, simular situações e pensar em respostas. Em outras palavras, ela potencializa a capacidade de ser inteligente.

A Inteligência Artificial é capaz de se adaptar

A IA se adapta através de algoritmos de aprendizagem progressiva para deixar que os dados façam a programação. Nesse sentido, ela encontra estruturas e regularidades nos dados para que o algoritmo adquira a capacidade de ser um classificador ou predicador. 

Portanto, o funcionamento da Inteligência Artificial se baseia na combinação de grandes volumes de dados digitais e algoritmos inteligentes. 

Quando surgiu

Nos anos de 1950 foram feitas as primeiras pesquisas envolvendo a inteligência artificial, explorando temas como resolução de problemas e métodos simbólicos. No entanto, somente em 1956 o termo inteligência artificial foi criado, mas ainda demorou um pouco para se popularizar…

Pouco tempo depois, na década de 1960, o Departamento de Defesa dos EUA se interessou por este tipo de tecnologia. Começou a treinar computadores para imitar o raciocínio humano básico, completando um projeto de mapeamento de ruas nos anos 1970.

Bem mais adiante, em 2003, criou-se assistentes pessoais e inteligentes, mas não eram tão comuns como Siri, Alexa ou Cortana, famosas atualmente.

A popularidade que a inteligência artificial tem hoje em dia tem um motivo: crescentes volumes de dados disponíveis, algoritmos avançados e melhorias no poder e no armazenamento computacionais.

Portanto, os primeiros trabalhos prepararam o caminho para a automação e o raciocínio formal que vemos nos computadores de hoje.

Inteligência Artificial e automação robótica

É importante deixar bem claro que a inteligência artificial é diferente da automação robótica guiada por hardwares. 

Foto do site pexels.com

Em outras palavras, em vez de automatizar tarefas manuais, a IA realiza tarefas frequentes, volumosas e computadorizadas de modo confiável e constante. No entanto, para este tipo de automação, a interferência humana ainda é essencial na configuração do sistema.

Como a IA pode ajudar o ser humano

Tendo em vista que a Inteligência Artificial está em todos os lugares, não é de se estranhar que ela pode, e muito, ajudar o ser humano. Aliás, ela foi criada para ajudar mesmo, não foi?

Porém, apesar de estarmos rodeados de Inteligência Artificial, nem sempre estamos conscientes disso. 

Isso se explica pelo fato da IA adicionar inteligência a produtos existentes ao invés de ser vendida como uma aplicação individual. Logo, o que vemos são produtos que já utilizamos sendo aprimorados com funcionalidades de IA. 

Sendo assim, automação, plataformas de conversa, robôs e aparelhos inteligentes podem ser combinados com grandes quantidades de dados. Eles são capazes de aprimorar muitas tecnologias para casa e escritório, de inteligência em segurança à análise de investimentos.

Inteligência Artificial presente em várias áreas

Na agricultura é possível perceber a ação da IA em vários setores, como, por exemplo, o uso de tratores autônomos e o monitoramento de drones.

Outra área extremamente beneficiada com o uso da IA é a médica. Técnicas de Inteligência Artificial, com base em em deep learning, classificação de imagens e reconhecimento de objetos permitem encontrar cânceres em ressonâncias com a mesma precisão de radiologistas bem treinados.

A Inteligência Artificial está presente em nosso dia a dia, auxiliando a resolver problemas complexos ligados à violência, a análises e monitoramentos e questões financeiras, por exemplo. Ela pode, até mesmo, auxiliar idosos a terem melhor qualidade de vida.

A IA pode se tornar uma ameaça?

Diante de tantos benefícios que vimos até agora, parece inacreditável que a IA possa nos trazer algum malefício. Porém, o potencial da IA para fazer algo bom também pode facilitar ações mal intencionadas, como é o caso de hackers que colocam em risco a segurança da informação.

Além disso, há um medo velado da inteligência artificial roubar o emprego das pessoas, uma vez que ela é capaz de executar com muito mais agilidade e precisão determinadas atividades. De fato isso é possível. Determinadas tarefas mecânicas e repetitivas podem ser tranquilamente realizadas por IA.

No entanto, por tornar o ser humano mais produtivo, os profissionais que realizam essas tarefas ficam liberados para que possam usar o máximo de sua capacidade para criar e inovar em outros setores. Nesse sentido, algumas vagas de emprego certamente serão extintas no futuro.

IA e transformação digital

Por fim, a IA também pode se tornar uma ameaça para aqueles que a ignoram. Isso mesmo. Imagine que você tenha uma empresa e queira ficar alheio à realidade, queira ignorar a necessidade de realizar uma verdadeira transformação digital para se manter no mercado. Ora, com certeza o seu concorrente não está fazendo vista grossa e utiliza a IA para alavancar o seu negócio e sair na sua frente!

 A Inteligência Artificial está revolucionando o marketing digital

Pode-se afirmar que a evolução do mundo digital e da sociedade leva os desenvolvedores a otimizar e desenvolver seus algoritmos, integrando inteligência artificial para poder executar e permanecer na vanguarda da tecnologia.

Além disso, a IA é capaz de promover uma melhor experiência do cliente, auxiliar na produção de conteúdo direcionado, de qualidade e que corresponda aos critérios dos algoritmos de pesquisa.

Por fim, utilizando o marketing digital aliado à IA, qualquer empresa poderá ter maior produtividade, otimização de processos, foco no usuário e análise de dados complexos.

Segurança da informação e Inteligência Artificial

A IA é capaz de tornar a segurança da informação muito mais eficaz pois analisa os dados em maior profundidade, usando redes neurais que possuem muitas camadas escondidas. 

Atualmente, o número de dispositivos móveis conectados à internet cresce aceleradamente, aumentando os riscos de ataques cibernéticos com o intuito de roubar informações de empresas e de pessoas físicas.

A favor das empresas, os algoritmos utilizados pela AI podem corrigir as vulnerabilidades encontradas e identificar automaticamente novos riscos que até então eram desconhecidos.

Segurança para a sua empresa

O mundo digital veio romper fronteiras e impulsionar as empresas, mas trouxe junto perigos antes impensáveis: os hackers. É preciso manter a sua empresa em segurança.

Para isso, você pode contar com empresas especializadas, como a Century Data, que utiliza todas as vantagens e potencialidades da Inteligência Artificial para garantir que a sua empresa se mantenha segura. 

Por que uma empresa especializada em cibersegurança?

Porque os hackers também se beneficiam da IA para realizar os seus ataques e, portanto, é preciso enfrentá-los com as mesmas armas e ainda melhores, com a experiência que só uma empresa especializada tem.

Assim, um dos grandes benefícios do uso de inteligência artificial é a realização do trabalho com a máxima eficiência e o maior percentual de acerto possível, além de identificar rapidamente as ameaças.

Por fim, numa sociedade digital, é fundamental combinar inteligência artificial e cibersegurança, para se proteger contra ataques cibernéticos que inevitavelmente virão ou melhor, já estão aí.

Conclusão

A Inteligência Artificial está presente no nosso dia a dia e oferece solução para diversos problemas que enfrentamos. 

No entanto, se mal utilizada, pode trazer grandes prejuízos para a sociedade, como os ataques de hackers a empresas e instituições públicas, tornando-se uma ameaça.

Porém, pensando na intenção para a qual ela foi criada, não há outra forma de vê-la, senão, como uma aliada, que tem por objetivo melhorar significativamente as habilidades e contribuições humanas, fazendo dela um ativo de negócios extremamente valioso.

Sobre Karine Iria

Mestra e Doutora em Economia Doméstica

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.