Jesus, se quiseres podes…

Hoje vamos refletir sobre a cura de um leproso, um homem que partiu em direção a Jesus e os desdobramentos desse encontro. Sendo assim, caso seja possível, conceda-me uns minutinhos de seu tempo para juntos contemplarmos essa cena.

A Palavra de Deus nos fala, então, desse homem que, mesmo estando cheio de lepra, com toda fé de seu coração, aproxima-se de Jesus e diz: “Senhor, se queres, podes limpar-me”.

Lc 5, 12-13

Gostaria de chamar a atenção para alguns pontos desta narrativa que, talvez, possam nos ser úteis em nossas orações. Vamos conhecê-los…

A lepra nos tempos antigos

Ao nos apresentar o homem, protagonista desta cena, o evangelista nos diz que ele estava cheio de lepra, ou seja, todo o seu corpo estava tomado por aquela enfermidade. Para melhor compreendermos esse fato saibamos que, naquele tempo, a lepra era compreendida como uma impureza. Logo, quem a contraísse seria, igualmente, impuro.

Em função disso, por onde passasse um leproso, ele deveria gritar a sua condição para que todos ficassem longe. Geralmente, os leprosos mantinham-se afastados das cidades.

Dito de outra forma, essa era uma doença que impedia a pessoa de viver entre os seus, em sua comunidade, assim como, de que alguém dela se aproximasse.

O que o faz vencer os limites?

Apesar deste contexto eis que um belo dia Jesus é abordado por um leproso, em plena cidade, por onde passava; isso mesmo, na cidade. Será que o leproso se esqueceu de que não deveria estar ali? Imaginem a cena! As pessoas gritando, assustadas, se afastando, mas ao mesmo tempo, curiosas e o leproso ali a olhar para Jesus… Paremos por um instante aqui!

Quantas vezes trazemos, em nós, não uma doença física como a lepra, mas alguma condição, ou marcas que julgamos limitar a nossa aproximação das pessoas e, até mesmo, de Deus. Talvez um sentimento de inferioridade, uma timidez excessiva, um jeito de falar, a sensação de não ser aceito, um pecado etc.

Todavia, seja qual for a limitação, hoje somos convidados a aprender com esse leproso que, mesmo sabendo de sua condição, rompeu os limites da cidade e foi levar a Jesus as suas lepras.

Ele não se deixou impedir, por suas vozes interiores, nem tampouco, pelo que poderiam pensar as pessoas, mas com fé acreditou que Jesus poderia fazer algo por ele e, por isso, partiu. Com fé vençamos, também, nós os limites que nos impedem de ir ao encontro de Jesus.

No caso do homem desta cena chegou ao fim a sua espera, pois ouviu de Jesus o tão esperado “Eu quero; sê purificado”, porém vejo que é importante olharmos, também, para outro possível aspecto desta cena…

Eu me submeto ao querer de Deus?

Outro ponto que gostaria de destacar é o fato de que, reconhecendo o poder de Jesus para curá-lo, o leproso submeteu o seu querer ao de Jesus. Quando o homem diz “Se quiseres” é, justamente, isso o que ele faz! O leproso reconhece que entre o seu desejo e a cura está, antes, o querer de Deus!
Foi como se dissesse:

Olha Jesus, o meu desejo e fé me fizeram entrar aqui nesta cidade, mesmo sabendo que não deveria. Eu acredito que se o Senhor quiser essa lepra irá embora. Porém, embora seja esse o meu maior desejo, eu o submeto ao Teu querer! Pois, o Senhor sabe mais! Que fé bonita, que coragem, mas também, que entrega…

Notemos, portanto, que foi a que levou o leproso até Jesus, mas ao estar ali, diante de quem Tudo poderia fazer, ele soube submeter o seu desejo à divina vontade de Deus. Que sejamos assim, também, ao levarmos nossas enfermidades (físicas ou não) até o Senhor! Partamos com a , de que Ele tudo pode fazer, porém saibamos submeter a nossa vontade à Dele!

Enquanto o milagre não chega…

Pode ser que, assim como eu, você há um tempo esteja apresentando a Deus uma causa, um desejo e ainda não ouviu de Seus lábios aquele tão aguardado “Eu quero”!

Pois bem, enquanto o milagre não chega permaneça firme no caminho da oração, não se afaste! Mesmo com suas limitações decorrentes, talvez, de uma enfermidade, mantenha-se no caminho!

Que neste dia, peçamos a Deus que cuide de nossa , para que não nos esqueçamos de que Ele pode! Mas, que Ele é, também, Aquele que sabe mais de nós e, melhor que ninguém, conhece o que, de fato, precisamos agora.
Portanto, cientes de nossas lepras, mas com fé, partamos ao encontro de Jesus e que diante Dele, seja esta a nossa oração de hoje: “Senhor, se quiseres, podes”!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *