Nossa Senhora Aparecida

Nossa Senhora Aparecida é a padroeira do Brasil. Mas isso você já sabe. Não é verdade? Em um pais como o Brasil, onde a grande maioria das pessoas são católicos, ter Nossa Senhora Aparecida como padroeira é de fato uma bênção sem tamanho.

Quem é católico certamente é devoto; quem não é, com certeza a conhece. Apresento aqui neste post, Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil.

O Dia de Nossa Senhora Aparecida é comemorado sempre em 12 de outubro, data que é considerado feriado nacional. Porém, para os católicos, mais que feriado, este dia é santo.

O dia 12 de outubro, então, é celebrada por todos os católicos brasileiro, como um dia especial de fé. É um dia de agradecimento por Maria, mãe de Jesus, ter cumprido a missão dela em terra. 

Nossa Senhora Aparecida foi nomeada pela Igreja Católica como Padroeira do Brasil em 1930, mas o feriado, leia-se dia santo, só foi oficializado por lei com a visita do Papa João Paulo II em 1980.

O feriado nacional, ou melhor, dia Santo de guarda, é responsável por levar milhares de fiéis à basílica localizada em Aparecida, no Vale do Paraíba paulista.

A imagem de Nossa Senhora Aparecida é símbolo de uma devoção genuinamente brasileira. Venerada desde o século 18, Nossa Senhora Aparecida é a Rainha de todo brasileiro Cristão Católico.

Aparecida ou Nossa Senhora da Conceição?

Em primeiro lugar, é importante compreender o que é, na igreja católica, o conceito de “Nossa Senhora“.

Trata-se de Maria, mãe de Deus. Mãe de Jesus.

Portanto, todas as “Nossas Senhoras” são manifestações da mãe de Jesus Cristo. Alguns títulos, como Nossa Senhora de Fátima e Nossa Senhora do Carmo, referem-se a lugares; outros, como Nossa Senhora das Dores, a momentos específicos.

Nossa Senhora Aparecida se enquadra no primeiro exemplo. No caso, o local de batismo de “Nossa Senhora Aparecida” é a atual cidade de Aparecida, ou para os mineiros, Aparecida do norte, no interior do Estado de São Paulo.

A história de Nossa Senhora Aparecida, a padroeira do Brasil, começa em outubro de 1717, época em que Aparecida fazia parte de Guaratinguetá.

O povo da cidade de Aparecida do Norte, planejava uma festa em homenagem a Pedro Miguel de Almeida Portugal e Vasconcelos, conde de Assumar, que estava de passagem pela região a caminho de Vila Rica – atual cidade de Ouro Preto, em Minas Gerais.

Como por providência divina, por conta da festa, diversos pescadores foram ao rio Paraíba do Sul procurar peixes para serem oferecidos ao nobre.

Nisso, encontra a história de João Alves, Felipe Pedroso e Domingos Garcia, todos devotos da Virgem Maria.

Como os Apóstolos de Cristo, sem apanhar nenhum peixo a noite toda, ada e quase desistindo da pesca, eles lançaram a rede mais uma vez, e, ao puxarem, descobriram o corpo de uma imagem sacra, sem cabeça.

Por puro impulso de fé, lançaram a rede novamente e, desta vez, pescaram a cabeça da santa Conceição Imaculada, hoje, Nossa Senhora Aparecida.

Segundo os relatos, a estátua teria ficado tão pesada que os pescadores não conseguiram movê-la no barco. E, desde que a imagem foi para o barco, eles pescaram inúmeros peixes, algo que foi considerado milagroso.

Começava, aí, a devoção à Nossa Senhora Aparecida

Uma curiosidade precisa se dita aqui. A imagem resgatada das águas do rio Paraíba do Sul era de Nossa Senhora da Conceição. Portanto, o título correto é Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Os católicos devotos, no entanto, resumiram, e hoje conhecemos apenas por Nossa Senhora Aparecida.

De fato, é uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, que é celebrada em 8 de dezembro. É um dogma que diz que Maria foi preservada do pecado original por causa da encarnação de Jesus“, contou Junior Vasconcelos do Amaral, padre e professor na PUC (Pontifícia Universidade Católica) de Minas Gerais.

Nossa Senhora é Maria, mãe de Jesus. Aparecida é o título. E a gente tem que lembrar que, no Brasil da colonização, Nossa Senhora da Conceição foi promulgada padroeira de Portugal e de todo domínio português. Ou seja, está presente em nossa história desde a colonização“, explicou Felipe Cosme Damião Sobrinho, padre e professor da PUC-SP.

Nossa Senhora a Santa negra

Além da questão envolvendo o título de Nossa Senhora Aparecida, há uma outra curiosidade: por que a imagem sacra estava no fundo de um rio e não em algum altar ou oratório?

O motivo: a imagem estava quebrada.

Então, para não jogar no lixo, jogava-se nos rios. Estava totalmente enegrecida por causa das águas do rio, mas certamente estava em um oratório. A fumaça das velas também contribuiu na cor preta.

Essa é a explicação mais aceita para a cor negra de Nossa Senhora Aparecida.

Nossa Senhora se tornou negra com o tempo. E essa é a beleza do sinal, em um contexto de um país escravocrata, principalmente naquela região por causa das fazendas. A imagem ser pescada foi um sinal de denúncia com a escravidão“, completou o professor da PUC-SP.

Ao longo dos anos, a devoção à Nossa Senhora Aparecida começou a crescer na região, de forma espontânea e popular. E, aos poucos, a nova santa foi venerada por milagres.

Além do chamado milagre dos peixes, a futura padroeira do Brasil teria sido responsável por outro milagre, desta vez, na vida de um escravo chamado Zacarias. Ao passar por uma capela dedicada à santa, ele pediu para rezar. Foi então que os grilhões de Zacarias se quebraram e ele, então, foi libertado de seus senhores.

Os Escravos e Nossa Senhora

Veja que contradição: os escravos não tinham liberdade, não eram respeitados, e a mãe de Deus apareceu em uma imagem negra, como se dissesse que eles tinham de ser libertados e respeitados.

O povo começou a cultuar Nossa Senhora Aparecida, não foi a igreja. Foi algo espontâneo. Depois foi que a igreja autorizou o culto. Mas começou da base, do povo, da fé das pequenas comunidades, sobretudo os negros.

Eles têm um grande personagem. A mãe de Jesus, de pele morena, negra, por causa do rio. A imagem absorveu essa cor. Mas é muito interessante que surge na época de escravidão, no século 18.

Após ser tirada do rio, a imagem foi levada para a casa de Felipe Pedroso. Em maio de 1743 foi aprovada a construção de uma igreja dedicada à santa. E o culto à Nossa Senhora Aparecida não parou de crescer.

Tanto que, em 1834, uma edificação maior foi iniciada. A chamada Basílica Velha foi inaugurada em 1888. E o espaço ficou pequeno. A atual Basílica de Nossa Senhora Aparecida foi consagrada pelo papa João Paulo II em 1980, local principal de culto da santa até hoje.

Nossa Senhora Aparecida não é a única padroeira do Brasil

Nossa Senhora Aparecida só foi proclamada padroeira do Brasil em 1930, após um decreto do papa Pio XI. Ela se juntava a outro santo que já tinha o status de padroeiro do país: São Pedro da Alcântara, que era especialmente venerado pela família imperial brasileira.

Além dele e de Nossa Senhora Aparecida, o Brasil tem hoje outros santos padroeiros: Nossa Senhora do Brasil, São José de Anchieta e Nossa Senhora da Conceição – esta, padroeira de todos os países que falam português.

Mas Nossa Senhora Aparecida é a padroeira principal do Brasil. É como na América Latina, que tem como a padroeira principal é Nossa Senhora de Guadalupe.

No ano seguinte, em 1931, uma missa no Rio de Janeiro oficializou de vez Nossa Senhora Aparecida como padroeira do Brasil.

Por que mãe de Jesus entrou para a história com mais de mil nomes

São muitos nomes, muitas “Nossas Senhoras”. Mas elas todas se referem a uma mesma pessoa, uma mesma santa católica.

O que significa que Nossa Senhora Aparecida, cuja data se comemora, como já dito anteriormente, em 12 de outubro, é uma representação diferente da mesma santa que também pode ser chamada de Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora de Guadalupe, Nossa Senhora de Lourdes e tantas outras.

Trata-se de Maria, uma jovem judia nascida em Nazaré há pouco mais de 2 mil anos, quando essas terras ao sul de Israel eram parte do Império Romano. Para o cristianismo, ela tem papel fundamental: tornou-se a mãe de Jesus Cristo.

Chamada de virgem por dois dos evangelistas, Mateus e Lucas, acredita-se que ela tinha cerca de 15 anos quando ficou grávida — pela doutrina cristã, por obra do Espírito Santo, ou seja, sem ter tido relações sexuais com homem algum. Na época, Maria já estava prometida em casamento a José, um carpinteiro da mesma cidade, mais velho, já na casa dos 30 anos.

Fato é que desta gravidez nasceria Jesus, o pilar fundador do cristianismo. Mas por que a tradição católica não rende a essa mulher apenas o título de Santa Maria, e são tantas as representações dela pelo mundo?

Os nomes dedicados a Nossa Senhora dependem muito da forma como ela apareceu. Normalmente são dados pelo nome do lugar onde ela apareceu ou pelas condições em que se deram o aparecimento“, esclarece o padre Arnaldo Rodrigues, assessor da Arquidiocese do Rio de Janeiro.

Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil

Acredita-se que a imagem foi encontrada no dia 17 de outubro de 1717, mas a escolha por uma data diferente pode ter sido pelo descobrimento da América (12/10/1492), a aclamação de Pedro I como imperador do Brasil (12/10/1822) e a inauguração da estátua do Cristo Redentor (12/10/1931).

Vale lembrar que só em 1953 o dia 12 de outubro foi considerado o data oficial da Padroeira. Antes disso, foi comemorada em diferentes datas.

A data foi escolhida como feriado pela associação com a chegada dos espanhóis ao continente americano, em 12 de outubro de 1492; porque em outubro de 1717 três pescadores encontraram a imagem da Santa que viria a ser conhecida como Nossa Senhora de Aparecida no rio Paraíba do Sul; e por ser Dia das Crianças.

Um jovem roubou Nossa Senhora Aparecida na Matriz Brasílica

Após pegar a imagem de Nossa Senhora Aparecida em suas mãos, ele jogou-a no chão, quebrando-a em diversos pedaços. A imagem foi restaurada, no entanto, algumas características da santa não puderam ser totalmente reparadas. A parte da cabeça foi a mais danificada e, por isso, ao comparar fotos de antes e depois, é possível notar uma diferença significativa nos traços da Padroeira.

Registros de milagres de Nossa Senhora Aparecida

Existem inúmeros relatos milagrosos relacionados à Nossa Senhora Aparecida. Contudo, dois deles são realmente comprovados por meio de objetos e que estão no expostos em um museu.

O primeiro é uma corrente que teria pertencido a um escravo e que foi solta assim que o mesmo se aproximou da imagem da santa. O outro é uma pedra da escadaria de uma igreja com o formato de uma ferradura. Nesta história, um homem ficou preso com seu cavalo ao tentar entrar no local para zombar dos fiéis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *