O temperamento colérico do apóstolo Paulo

O temperamento colérico é um dos quatro temperamentos que funcionam como um norte para entendermos melhor como reagimos diante das circunstâncias da nossa vida. Conhecer o nosso temperamento e o das pessoas com as quais convivemos nos ajuda a nos relacionarmos melhor.

James Faulkner interpretou o Apóstolo Paulo em 2018, no filme “Paulo: Apóstolo de Cristo”. (Foto: Divulgação)

Além disso, aprendemos o que podemos fazer para vencermos nossas limitações e defeitos, bem como a colocar nossas qualidades em evidência e a serviço de Cristo.

No entanto, o estudo dos temperamentos deve auxiliar a viver a Palavra “Se, portanto, o Filho vos libertar, sereis verdadeiramente livres” (Jo 8, 36).

O apóstolo Paulo, com seu temperamento colérico, é um belo exemplo sobre o que é viver para Cristo e não se deixar escravizar por nada.

Quer saber porque o temperamento de uma pessoa não serve de prisão? Esse artigo pode te ajudar!

O colérico é fogo

Pessoas com temperamento colérico têm o fogo como elemento simbólico, pois ele representa a força e a determinação que as pessoas com esse temperamento demonstram. Podem ser tão devastadores quanto acolhedores, capazes de aquecer, iluminar e proteger. 

Dessa forma, de um modo geral, pessoas com temperamento colérico podem ser belicosas, insensíveis, teimosas, orgulhosas, cruéis e nem sempre compreendem a dor alheia.

Por outro lado, uma série de qualidades acompanha o temperamento colérico! Podem ser pioneiros, práticos, independentes, perseverantes, constantes, perspicazes, autênticos, voluntariosos, apaixonados, desbravadores, líderes, concentrados, proativos, resolutivos e gostam de desafios. O colérico é forte, firme e determinado.

Tenho certeza que o colérico que está lendo isso ficou com o ego inflamado agora! 

O colérico e o chamado à santidade

Mas, diante do chamado de Cristo para viver o amor e o serviço ao próximo, será que pessoas com temperamento colérico conseguem vencer o orgulho, baixar o tom de voz e ouvir a necessidade do outro? Como será o caminho do colérico na busca da santidade?

Foto do site pexels.com

Sim. Pessoas com temperamento colérico podem viver a santidade! Quando o colérico busca a virtude da humildade e se deixa conduzir pelo Espírito, suas qualidades se potencializam e se tornam excelentes servos do Senhor.

O temperamento colérico é muito bem representado

Temos grandes exemplos de santos com temperamento colérico, como São Francisco de Sales, São Tomás de Aquino e São Paulo apóstolo. Todos tiveram suas particularidades, mas apresentaram, em comum, o desejo ardente de fazer a vontade de Deus e alcançar a coroa da vitória, revestidos de amor e santidade.

Vamos nos deter um pouco mais na vida de São Paulo e ver como foi possível a um colérico deixar de lado o orgulho e se revestir de humildade.

O colérico Paulo

O apóstolo Paulo, por causa de sua maneira de agir, é um colérico exemplar. 

Saulo, como era conhecido antes do seu encontro com Jesus, era como um fogo impiedoso, que perseguia os cristãos. 

Porém, Jesus olhou para Saulo e o escolheu. Jesus não desviou seu olhar de um homem orgulhoso, cruel e insensível. Muito pelo contrário! Jesus enxergou Paulo, enxergou além e viu nele o grande potencial para levar a Boa Nova, o Amor, a todos os povos. O fogo impiedoso se tornou fogo caloroso, pela ação do Espírito Santo, o Fogo Abrasador.

Um colérico “caiu do cavalo”! 

A propósito, eu sei que a bíblia não fala que Paulo caiu do cavalo. Mas fala que ele caiu por terra. Porém, a expressão “caiu do cavalo” encaixa bem quando algo inesperado acontece e as coisas não saem como planejado. Isso aconteceu com Paulo!

Foto do site pt.wikipedia.org

Sendo assim, Paulo, um admirável judeu, seguia incansável em sua meta de parar o avanço do cristianismo. Porém, o encontro com Aquele que realmente sabe de todas as coisas, mudou a vida de um colérico obstinado e sagaz. Perseguir cristãos já não fazia mais sentido. Toda determinação e sagacidade passaram a ser usadas, agora, para tornar Cristo cada vez mais conhecido.

De temido para acolhido

Com seu temperamento colérico, Paulo era conhecido pelos cristãos e sua fama não era boa. Afinal, ele perseguia e ameaçava a todos.

Ananias foi escolhido, por Cristo, para ir até Paulo. Podem imaginar que não foi nada fácil para ele, não é mesmo?

Mas Ananias foi, encontrou com ele e o batizou, como Jesus mandou que fizesse.

Não pensem que foi fácil para Paulo ser acolhido pelos cristãos depois de sua conversão.

Sabe aquela frase que diz “quem tem fama deita na cama”? Então, foi bem assim que aconteceu (pode conferir lá em Atos 9, 26). Mas Paulo seguiu firme. Não voltou atrás em seu sim. Quanta determinação!

Fico pensando que para ele não importava o que os cristãos pensavam dele, mas sim o que Cristo pensava a seu respeito. É a Cristo que Paulo buscava agradar.

Luta por um grande ideal

É mesmo surpreendente o que o Espírito Santo pode fazer em uma alma que se rende. Paulo se rendeu de tal forma que seus defeitos, embora existissem, foram abrandados.

Ninguém aqui tem a ilusão de pensar que Deus simplesmente tirou os defeitos do temperamento colérico de Paulo, não é mesmo?

Paulo teve que lutar, dia após dia, com um espinho na carne. Já não vivia para si. São suas as palavras que tanto tocam o nosso coração: “Porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro.” (Fil 1, 21). Sua meta era alcançar a coroa da justiça.

Perseverança no Amor

Paulo buscou desenvolver as virtudes em sua vida e nos orientou a fazer o mesmo.

Orientou diversas vezes seus irmãos na fé a serem firmes e fiéis na graça que receberam. Falou lindamente sobre o amor, que é paciente, bondoso e não busca seus próprios interesses. Sem amor, nada vale. 

Paulo nos ensina que não adianta saber de tudo, saber mais que os outros, ser o mais rápido, o mais inteligente ou o mais esperto, se não tiver amor.

Como um bom colérico, sabia argumentar e defender suas ideias. Ele sabia quem era o Caminho, a Verdade e Vida e se dispôs, incansavelmente, a torná-lo conhecido. Você já leu as cartas de Paulo? Vale a pena ler e reler. Suas palavras nos animam. São um convite para prosseguirmos decididamente.

O temperamento colérico de Paulo foi transformado

É impossível ler as cartas de Paulo e não se comover. Suas palavras tocam o nosso coração. Ele se dirige aos irmãos com carinho. Sofre com os que sofrem e se alegra com os que se alegram.

Onde está o colérico insensível agora? E o orgulhoso, onde foi parar?

Foi lavado no Sangue de Cristo, foi transformado pelo Espírito de Amor.

O temperamento colérico e os outros temperamentos

Os defeitos dos coléricos não são exclusividade deles. Nem as qualidades. O pecado original nos coloca no mesmo lugar. A graça redentora também.

No entanto, cada pessoa, com o temperamento que lhe é próprio, tem uma forma de agir e reagir no mundo. Ao nos colocarmos sob a definição de um determinado temperamento precisamos ter bem claro que são tendências, predisposições. Não podemos nos deixar aprisionar por rótulos.

Conclusão

O apóstolo Paulo, de temperamento colérico, nos mostrou que a humildade é o caminho para viver a santidade. Não foi fácil para ele e também não é fácil para nós, não importa qual seja o nosso temperamento.

Seu exemplo de coragem, determinação e disciplina devem ecoar em nosso coração e nos levar a agir da mesma forma.

Por fim, espero que tenha gostado da forma como esse assunto foi abordado. O estudo dos temperamentos é uma fonte de riquezas e muito ainda poderia ser dito. No entanto, fico por aqui e deixo o convite para ler também sobre o temperamento sanguíneo, tendo como inspiração o apóstolo Pedro. Vamos lá?

Sobre Karine Iria

Mestra e Doutora em Economia Doméstica

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.