O Temperamento Colérico

Com este texto, O Temperamento Colérico, damos sequência a nossa série de reflexões acerca dos temperamentos, suas características, forças e fraquezas.

Assim como no texto anterior, quando olhamos para o temperamento Sanguíneo, gostaria de relembrar que trazemos em nós, características dos quatro tipos de temperamento, ou seja:

Sanguíneo, Temperamento Colérico, Melancólico e Fleumático. Porém, como vimos, haverá sempre a preponderância de um ou dois deles.

Muito prazer, eu sou o Colérico!

Hoje falaremos um pouco sobre o temperamento Colérico. E para início de conversa vamos olhar para o modo como a pessoa com esse temperamento, em destaque, age e reage frente aos fatores e emoções externas. Ou seja, se suas emoções brotam com facilidade e, uma vez que surgem quão duráveis elas são.

No caso do Sanguíneo vimos que ele reage rápido às emoções, porém elas são passageiras.

De modo semelhante, o temperamento Colérico se excita com facilidade ao ser atingido por algo externo, porém nele as emoções permanecem por longo tempo.

Olhar para o modo como somos afetados pelas circunstâncias é importante, pois pode ser uma ótima maneira de identificarmos nosso tipo de temperamento e, assim, avançarmos no amadurecimento pessoal, além de melhorarmos nossas relações.

Forças e fraquezas

Verifiquemos, a partir de agora, algumas das forças e fraquezas que são marcantes no temperamento Colérico.

Ao pensar em suas forças destaco o seu foco, sua autodisciplina, pontualidade, seu ótimo senso de justiça, amor à verdade, a confiança em sua própria habilidade, o gosto por desafios, o entusiasmo, otimismo, objetividade, praticidade, responsabilidade e perseverança.

Ufa! Quanta riqueza em um único temperamento, não é mesmo?

As forças do Temperamento Colérico

Vimos, assim, que o temperamento Colérico possui belíssimas forças que podem, por exemplo, torná-lo um ótimo líder.

Em contrapartida, suas fraquezas podem vir a comprometer seu desenvolvimento e relacionamentos, já que sendo um tipo muito objetivo e prático, isso pode torná-lo, muitas vezes, insensível e, até mesmo, agressivo com aqueles com quem convive.

A fim de tornar isso um tanto mais claro, tomemos, por exemplo, uma questão que precisa ser resolvida…

Diante dela o Colérico, rapidamente, não só apresenta uma solução, como pode se oferecer para estar à frente da ação e já ir iniciando a jornada, dando funções a todos e dizendo como executá-las.

Porém, o seu colega ou amigo (com temperamento diferente) não conseguindo acompanhar o ritmo e raciocínio do Colérico pode acabar ficando para trás e se desestimulando na resolução da questão.

Talvez, os coléricos que estejam, por aí, a ler este trecho possam estar pensando: “Mas, o problema não está no temperamento Colérico, afinal de contas, ele está certo, viu o problema e partiu para resolvê-lo”!

De fato, devido a sua objetividade, praticidade e, também, proatividade a atitude do Colérico o levaria por esse caminho mesmo. Porém como na vida não caminhamos sozinhos, é preciso considerar que aquele que segue conosco pode ter um temperamento diferente e, em função disso, responder de maneira diferente às mesmas demandas.

Errado? Pior? Não, apenas diferente!

As fraquezas…

Portanto, se queremos ter relações saudáveis e com qualidade, considerar o outro importa e muito, caso contrário, o Colérico poderá, apesar de suas ricas qualidades, terminar realizando a tarefa só, já que poucos conseguirão acompanhá-lo ou, terão alegria em trabalhar com ele.

Ou ainda, reunirá consigo apenas outros coléricos, o que lhe traria benefícios, em princípio, pois reuniria um grupo objetivo, prático, proativo etc.

Porém, poderia trazer, também, algumas dificuldades, já que todos teriam as “melhores ideias e soluções”, indicariam seus próprios “melhores caminhos” e que, por sua vez, julgariam certos.

Conseguem imaginar o que poderia acontecer? Espero que sim!

Com base, ainda, no exemplo anterior cito outras fraquezas, características do temperamento Colérico, tais como a tendência à ira, a impetuosidade, autossuficiência e, em razão disso, a dificuldade em desculpar-se.

Além do exposto, como as emoções nele não são passageiras, ao passar por situações de conflito, seja no âmbito pessoal, profissional, religioso etc. ele tende a ser rancoroso (mesmo após “explodir”), guardando por muito tempo as mágoas sentidas.

O temperamento Colérico

Enfim, quantas reflexões possíveis a partir deste belo temperamento, não é verdade?

E, você? Identificou-se com o temperamento Colérico ou conhece alguém com esse temperamento preponderante?

No próximo texto daremos continuidade às nossas reflexões acerca dos temperamentos, falando sobre o temperamento Melancólico.

Mas, enquanto ele não chega, que tal fazer aquela reuniãozinha, on-line, com os amigos para discutirem sobre os temperamentos já vistos?

Além disso, aproveite para fazer um teste de temperamento e descubra se você é sanguíneo, colérico, melancólico ou fleumático.

2 comentários em “O Temperamento Colérico”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *