O Temperamento Fleumático e o exemplo de São Tomás de Aquino

O temperamento fleumático é um dos temperamentos mais surpreendentes, pois, assim como a água, elemento que o representa, é capaz de viver a calmaria de um lago cristalino ou a vibração de um mar revolto. Tudo vai depender da sua motivação.

Foto do site diocesesa.org.br

Já não é novidade que o estudo dos temperamentos ajuda no autoconhecimento e nos relacionamentos

Dessa forma, na intenção de nos aprofundarmos mais no assunto e aprendermos a lidar com o nosso temperamento, buscamos referências em grandes nomes. Pessoas que viveram intensamente sua vocação e marcaram o mundo com a sua presença. 

Você já pode conferir o temperamento sanguíneo de São Pedro e o temperamento colérico de São Paulo

Hoje vamos nos deter no temperamento fleumático de São Tomás de Aquino e aprender com ele que todo o esforço vale a pena quando se tem um grande ideal.

Vamos lá?

Os temperamentos são inclinações naturais

A propósito, é sempre bom lembrar que os temperamentos são inclinações naturais. Eles nos ajudam a entender melhor o modo como reagimos diante das circunstâncias que nos são apresentadas. 

Nem rótulos e nem horóscopo

Porém, eles não são rótulos, nem horóscopo. Não determinam a vida de ninguém e não devem ser usados como desculpa para agirmos de modo inconveniente.

O estudo a respeito dos quatro temperamentos é riquíssimo e de longa data. Teve origem com Hipócrates, maior médico da Antiguidade, nos anos 460-377 a.C. e suas premissas são válidas até hoje. Você pode conhecer mais sobre esse assunto no nosso artigo “Vamos falar sobre temperamento?”.

A santidade vivida por um fleumático

Segundo estudiosos, São Tomás de Aquino tinha temperamento fleumático. Era sábio, inteligentíssimo e de uma profunda humildade. Viveu lindamente sua vocação e hoje é considerado Doutor da Igreja Católica.

Além disso, também é conhecido como Doutor Angélico, devido à sua bondade e conhecimento. Tinha um grande coração.

Conforme a história nos conta, ele nasceu em uma família de militares, estudou em escolas renomadas e, com 19 anos, decidiu que iria seguir a vida religiosa.

Escreveu várias obras, dentre elas, a Suma Teológica, uma obra de excelência que se constitui numa das bases dogmáticas do catolicismo. Foi escrita entre os anos de 1265 a 1273 e é considerada uma das principais obras filosóficas da escolástica. 

O temperamento fleumático

Pessoas com temperamento fleumático são cativantes e envolventes. Naturalmente, sabem ouvir como ninguém, pois não têm pressa para emitir opiniões e muito menos querem se impor ou se mostrar.

Foto do site pexels.com

Além disso, o fleumático é centrado, analítico, prático e sistemático. Tem facilidade para perseverar nas coisas que exigem rotina e métodos.

Nesse sentido, São Tomás de Aquino mostrou isso claramente. A Suma Teológica é uma obra extensa em que ele se debruçou por 8 anos. Tem que ter muita determinação mesmo!

Temperamento fleumático: a tranquilidade em pessoa

De uma pessoa com temperamento fleumático pode se esperar calma, tranquilidade, sossego e bom humor. Não se irrita com facilidade e nem fica remoendo contrariedades.

Como é bom conviver com alguém assim, não é mesmo?

Tão bom que a gente não quer sair de perto deles! Tem um detalhe na vida de São Tomás de Aquino me chamou atenção sobre isso:

A biografia deste santo nos conta que a sua família não aceitou o fato dele sair de casa para seguir a vida religiosa, como sacerdote dominicano. Seus irmãos chegaram a sequestrá-lo e levá-lo de volta para casa. Eu realmente acho que foi porque não queriam ficar longe dele! Será?

É bem provável, porém, que não seja bem isso! Dizem que a família até aceitaria se ele optasse por ser monge beneditino, mas seus pais esperavam mesmo é que ele continuasse a tradição da família e se tornasse um valioso chefe militar ou um hábil estadista.

Mas, independente do que eu acho, os fleumáticos são realmente pessoas ótimas para se conviver! Assim como a água, eles se adaptam aos lugares facilmente. Além disso, são bons amigos, fazem a gente rir e não incomodam ninguém.

A amizade diminui a dor e a tristeza.” (São Tomás de Aquino)

Mas, nem tudo são flores

Claro que o temperamento fleumático não é feito só de qualidades. As pessoas com esse temperamento passam por grandes lutas interiores para vencer a preguiça, seu defeito dominante.

Como se não bastasse, os fleumáticos também podem se mostrar pessoas muito frias, com tendência ao egoísmo. Têm falta de iniciativa e não gostam de mudanças. Vivem em um “mundo particular”, envolto em seus pensamentos.

Embora sejam pessoas agradáveis, esses defeitos, se não contornados, podem prejudicar muito os seus relacionamentos. A paz e o sossego, que tanto gostam, podem dar lugar a conflitos e discórdias, alimentando ainda mais a sua insegurança.

Quando se perdem em seus pensamentos

As pessoas com temperamento fleumático tendem a não gostar muito de falar o que sentem ou mesmo de ficar expondo seus pensamentos. Resultado: costumam deixar as pessoas esperando por uma resposta que sabe lá quando virá! E isso chateia bastante.

Foto do site pexels.com

Além disso, de tanto ficar pensando, têm tendência à inação, à imobilidade. 

Por outro lado, também podem querer terminar suas obrigações rapidamente, para poder descansar e se divertir. É como se corressem do trabalho duro para ficar cada vez mais à vontade em seu “santuário pessoal”, sem perturbação, sem confusão.

Definitivamente, São Tomás de Aquino teve que lutar bravamente para vencer suas inclinações naturais e atender ao chamado de Deus. Poderia ter ficado em casa, acomodado ou se dedicado a algo que lhe exigiria menos esforço. 

Dessa forma, como a sua família não queria que ele se tornasse um sacerdote dominicano, ele poderia ter ignorado o seu chamado e, assim, evitar os conflitos que viveu dentro de casa. Seria bem mais fácil, não é mesmo?

O temperamento fleumático e o paradoxo da água

Como falado no início desse artigo, pessoas com temperamento fleumático podem ser calmas, lentas, paradas, mas também podem apresentar a fúria de um mar revolto, seja para dar um basta em uma situação, seja para lutar bravamente por um ideal, com constância e determinação. 

Em outras palavras, podem viver no comodismo ou desbravar novos ares em busca de um grande ideal. Fazem de tudo para evitar conflitos, mas, se não for possível, entram na batalha com todas as armas necessárias.

Sim, os fleumáticos precisam de um motivo para agir. Eles não movem uma palha se não encontrar sentido nisso! Quem convive com pessoas com temperamento fleumático sabe muito bem do que eu estou falando!

De acordo com o Pe. Royo Maríndeve-se sacudi-lo de sua inércia e indolência, empurrando-o às alturas, acender em seu coração apático a labareda de um grande ideal.”

São Tomás de Aquino: quando um fleumático encontra um grande ideal

Pessoas com temperamento fleumático podem encontrar grande dificuldade para vencer a preguiça, mas, se encontrar um ideal que valha a pena, conseguirão vencer. Um grande exemplo está na vida de São Tomás de Aquino, que se empenhou para escrever grandes obras que muito contribuem para a nossa santificação e mostram o quanto esse homem se deixou moldar por Deus.

Para aqueles que têm fé, nenhuma explicação é necessária. Para aqueles sem fé, nenhuma explicação é possível.” (São Tomás de Aquino)

Portanto, o grande ideal de vida deste santo estava em mergulhar na teologia e lá encontrar o sentido da verdadeira fé cristã. 

“Boi mudo”

Parece estranho falar isso – boi mudo – mas esse foi o apelido que São Tomás ganhou de seus colegas, quando estava na universidade, conforme foi contado em “10 fatos sobre os santos”. Como bom fleumático, Tomás devia ficar só matutando, observando tudo que acontecia ao seu redor, sem pressa!

No entanto, sabendo do seu potencial, Santo Alberto Magno, seu professor na época, disse aos colegas de Tomás: “vocês chamam ele de boi mudo, mas vocês vão ouvir, de longe, o que esse boi mudo vai fazer”.

Rogo a Deus como se esperasse tudo d’Ele, mas trabalho como se esperasse tudo de mim.” (São Tomás de Aquino)

Pode-se afirmar, então, que ele teve iniciativa, pois percebeu que precisava fazer algo grande e fez: utilizou sua inteligência em prol do crescimento humano, promovendo  e explicando como razão e fé podem andar juntas.

Fleumáticos, vocês têm noção de quão longe podem ir no caminho da santidade? Nada de se conformarem com pouco! Não se entreguem à preguiça, ao conformismo e à insegurança! Não dá para fugir de todos os conflitos e batalhas! Vejam o exemplo de São Tomás de Aquino!

 Conclusão

A pessoa com temperamento fleumático não é movida por paixões e não toma decisões baseadas em emoções. O fleumático pensa muito, reflete pausadamente e, por isso, é capaz de ter uma visão muito madura das situações.

No entanto, para desenvolver todo o seu potencial e alcançar seus objetivos precisa vencer a preguiça e o comodismo e avançar no caminho da santidade.

Por fim, o chamado à santidade é para todas as pessoas: coléricos, sanguíneos, fleumáticos e melancólicos. As qualidades e os defeitos, típicos de cada temperamento, só podem aprisionar os imaturos, aqueles que buscam desculpas para não progredir na graça.

Eles justificam seus defeitos e não aprimoram suas qualidades e nem se colocam à disposição para servir. Não sejamos assim! 

Encerro esse texto com uma oração do próprio São Tomás de Aquino:

Concedei-me, suplico-vos, uma vontade que vos procure, uma sabedoria que vos encontre, uma vida que vos agrade, uma perseverança que vos espere confiadamente e uma confiança que no final chegue a possuir-vos”.

Sobre Karine Iria

Mestra e Doutora em Economia Doméstica

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.