O temperamento melancólico de Santa Teresinha

O temperamento melancólico pertence a pessoas que possuem uma vida interior muito rica e profunda, mas que encontram dificuldades em se abrir para os outros. 

Dessa forma, assim como nos outros temperamentos, pessoas com temperamento melancólico possuem pontos fortes e fracos, como parte intrínseca de seu ser.

Por isso, vale lembrar, logo no início, que o temperamento de uma pessoa diz respeito ao modo como ela reage diante das circunstância da vida, ou seja, sua tendência natural em lidar com as situações.

A respeito do temperamento melancólico, já ouvi muita gente reclamar dele, ou mesmo rejeitá-lo, por achar que é um temperamento triste e, portanto, ruim. Mas não tem nada disso! Trata-se de um temperamento tão belo quanto os outros.

E existem melancólicos maravilhosos, como Santa Teresinha do Menino Jesus, que tem muito a nos ensinar. 

Espero, então, que esse artigo te ajude a compreender a beleza do temperamento melancólico! Continue a leitura e me conte depois!

Temperamento melancólico

O elemento que representa o temperamento melancólico é a terra. Nela podemos deixar marcas e essas marcas são profundas. Assim acontece com os melancólicos: as situações vividas e sentidas deixam marcas profundas em seu interior, difíceis de serem apagadas. A terra também é um elemento que remete à firmeza e segurança. Pois bem, pessoas com temperamento melancólico são fiéis, constantes, organizadas, gostam da rotina e da previsibilidade. São pessoas “pé no chão” e ligadas a tudo que acontece à sua volta.

Além disso, o melancólico não reage rapidamente, mas raciocina primeiro e então age. Quando algo o entristece, tende a ficar remoendo a situação por um longo tempo.

Foto do site pexels.com

De um modo geral, os pontes fortes e os pontos fracos do melancólico são:

Pontos fortes

São pessoas inclinadas à reflexão, pensam bem antes de falar e gostam de analisar cada detalhe. Tendem ao silêncio, à piedade e à vida interior. Além disso, são sensíveis e capazes de se compadecer facilmente das misérias do próximo. Também sabem levar a abnegação até o heroísmo, sobretudo ao lado dos enfermos. Podem se tornar verdadeiros benfeitores da humanidade.

Portanto, de um modo geral, os melancólicos são talentosos, analíticos, habilidosos, voltados para as artes, sensíveis, se sacrificam pelos outros e têm autodisciplina.

Pontos fracos

O melancólico, por sua vez, tem uma inclinação natural para se sentir inferior e achar que tem culpa de tudo. É inclinado a ter pena de si mesmo e parece hipnotizado pelos seus próprios problemas, tendendo à depressão e insônia. É perfeccionista, egocêntrico, vingativo e escrupuloso. Esse escrúpulo diz respeito a uma ansiedade da alma que faz que a pessoa acredite que está ofendendo a Deus em todas as suas ações, vivendo numa dúvida infundada, que perturba a consciência e enche de inquietações.

No entanto, seu defeito dominante é a desesperança. 

Santa Teresinha do Menino Jesus – uma melancólica virtuosa

Bom, já temos um panorama geral do temperamento melancólico e agora, chegou a hora de voltarmos o nosso olhar para uma mulher que permitiu que seu temperamento se tornasse bênção, para si e para os outros.

Santa Teresinha, favorecida pelo seu temperamento melancólico, viveu em profunda intimidade com Deus, voltando o seu olhar para a Fonte da Esperança.

Ela nasceu em Alençon (França) no ano 1873. Aos 15 anos, com a autorização do Papa Leão XIII, entrou para o mosteiro das Carmelitas de Lisieux. Morreu aos 24 anos, oferecendo sua vida pela salvação das almas e pela Igreja. Foi declarada doutora da Igreja e padroeira das missões, mesmo sem ter escrito grandes tratados teológicos ou mesmo ter saído do Carmelo.

Depois de minha morte, farei cair uma chuva de rosas.” 

Vou passar meu céu fazendo o bem na terra.

(Santa Teresinha do Menino Jesus)

Tristeza batendo à porta

Conforme relatado em sua biografia, os seus primeiros anos de vida foram muito felizes, mas, quando tinha quatro anos, a sua mãe morreu e isso a afetou profundamente. Ela passou então a ser tímida, calada e hipersensível, apesar de estar rodeada de ternura pelo seu pai e suas irmãs.

Foto do site santuariosantaterezinha.com.br

Perder alguém tão amado pode ser uma experiência avassaladora, principalmente para um melancólico. Na verdade, não é um momento fácil para ninguém, independente do seu temperamento. No entanto, conhecendo as características do temperamento melancólico, podemos imaginar a dor profunda e latente que Teresa sentiu, mesmo sendo tão nova. Seu consolo foi o Amor.

Espero tudo do Bom Deus, como uma criancinha espera tudo de seu pai.” 

(Santa Teresinha do Menino Jesus)

Mais uma dor

Além disso, se apegou à sua irmã mais velha, Paulina, que seguindo sua vocação, entrou para o Carmelo. Isso aumentou ainda mais o tormento da pequena Teresa, que após algum tempo, foi atingida por uma grave doença.

Ela poderia ter arrastado sua dor por toda a sua vida, se tornando uma pessoa amargurada e rancorosa. No entanto, Santa Teresinha olhou para o Alto e se deixou tocar pelo Amor.

Acho que nesses momentos de grande tristezas tem-se a necessidade de olhar para o céu em lugar de chorar.” (Santa Teresinha do Menino Jesus)

Além dos escrúpulos

Quando Santa Teresinha fez a sua primeira comunhão, sentiu tamanha felicidade que se entregou a Jesus, relacionando-se com ele com espontaneidade e amor. No entanto, conta-nos sua história que, influenciada pelo moralismo da época, começou a sofrer terríveis escrúpulos, por muito tempo. Neste período, sua irmã Maria a ajudava a lidar com essa situação.

Entretanto, como uma melancólica temente a Deus, Santa Teresinha tinha essa inclinação a achar que tudo era pecado e nada do que fizesse era bom o suficiente. Mas, ao se deixar ajudar e abrir o seu coração, numa tendência  contrária à sua naturalidade, experimentou o amor misericordioso de Deus e nos ensinou sobre a Pequena Via – uma confiança infinita em Deus, humildade profunda e o amor manifesto nas pequenas coisas do dia a dia.

Deus não poderia me inspirar desejos irrealizáveis, portanto, posso, apesar da minha pequenez, aspirar à santidade.” (Santa Teresinha do Menino Jesus)

Sensibilidade

Santa Teresinha nos mostra como um melancólico é capaz de se tornar instrumento de graça e bondade na vida das pessoas. Além disso, sua sensibilidade era tanta que ela tinha o hábito de jogar pétalas de rosas ao ver passar o Santíssimo Sacramento no ostensório. Além disso, também jogava flores no grande crucifixo que ficava no jardim do Carmelo. São pequenos atos, repletos de amor!

Não quero ser santa pela metade, escolho tudo!” (Santa Teresinha do Menino Jesus)

Prova de fé

Quando Teresa adoeceu de tuberculose, começou uma dura prova de fé em sua vida, que durou até a sua morte. Entretanto, ela suportou a prova e se manteve fiel a Jesus, com atos mais firmes de sabedoria e de amor.

Assim, diante de toda desesperança, Santa Teresinha cultivou a virtude da Esperança, deixando de olhar as coisas com os olhos humanos e passando a olhar as coisas a partir de Deus. Que belo exemplo para todos nós!

Morrer de amor é um bem doce martírio!” (Santa Teresinha do Menino Jesus)

Com os olhos no Amor

Para não cair na tristeza é necessário olhar para si mesmo com esperança e, ao mesmo tempo, sair de si mesmo e olhar para o outro, para Deus. Isso também é uma grande prova de humildade, virtude também cultivada por ela.

Foto do site pt.churchpop.com/

Assim fez esta santa, muito querida por nós e possuidora do temperamento mais profundo na espiritualidade. A salvação do melancólico é sair de si. Santa Teresinha fez isso com perfeição!

O que me impulsiona a ir para o céu é o pensamento de poder acender no amor de Deus uma multidão de almas que o louvarão eternamente.” (Santa Teresinha do Menino Jesus)

A morte não é o fim

Santa Teresinha viveu intensamente a sua vida e nos mostrou que todo sofrimento, vivido na graça, tem um propósito maior: a vida eterna! Sua percepção sobre a morte nos ajuda a olhar a vida sob outra perspectiva:

A vida é um instante entre duas eternidades.” 

A vida é apenas um sonho, em breve nos acordaremos.”

Eu não morro, entro na vida.”

Dessa forma, ao longo de sua breve e intensa vida, Santa Teresinha cultivou a esperança, o amor, a beleza, a humildade e nos mostrou, claramente, que o nosso temperamento não pode nos aprisionar e que nossos pontos fracos não são desculpas para não vivermos a santidade.

Ó meu Deus, longe de me desencorajar à vista de minhas misérias, venho a vós com confiança.

(Santa Teresinha do Menino Jesus)

Conclusão

O temperamento melancólico está muito longe de ser triste e ruim, como muitos acham. Basta que sua tendência à tristeza seja iluminada pelo amor para que ele leve essa luz para todos à sua volta. Os melancólicos são capazes de nos trazer segurança, conforto e ainda nos ajudar a vivenciar uma profunda espiritualidade.

Portanto, melancólicos, sanguíneos, coléricos e fleumáticos, todos temos pontos fortes e fracos. Deus não erra. Se você reclama do seu temperamento, é porque ainda não descobriu as suas riquezas. 

Por fim, caso ainda não saiba qual temperamento é o seu, observe-se atentamente e faça um teste para ajudar. Leia mais sobre os temperamentos! Além do temperamento de Santa Teresinha, conheça o temperamento de outros santos: O Temperamento Fleumático e o exemplo de São Tomás de Aquino; Temperamento Sanguíneo – o apóstolo Pedro; e O temperamento colérico do apóstolo Paulo.

Sobre Karine Iria

Mestra e Doutora em Economia Doméstica

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.