O Temperamento Melancólico

Até agora vimos tratando de temperamentos considerados “pra fora”, ou seja, mais extrovertidos. Mas em nosso texto de hoje, ou seja, o Temperamento Melancólico, vamos mudar essa direção.

Como veremos, o Temperamento Melancólico é um pouco mais “pra dentro”, isto é, menos extrovertidos que os demais.

Aqui está o Temperamento Melancólico.

Há beleza em ser um Melancólico?

Embora o temperamento Melancólico traga este “Q” de introversão e melancolia, ele está muito longe de caracterizar uma pessoa sombria ou triste, como alguns podem pensar, ao contrário, a meu ver, ele é um dos mais belos e ricos.

Então, já respondendo a pergunta com a qual iniciei este texto:

Sim, há muita beleza em ser um Melancólico! Mesmo ciente de que, assim como nos demais temperamentos, aqui há também muitos desafios a enfrentar.

Mas, vamos em frente para conhecê-lo melhor!

As origens deste temperamento

O termo Melancólico, segundo Rezende (2009), origina-se da junção (melános, negro + cholé, bile), ou seja, o Melancólico é aquele que, de acordo com a medicina antiga, traria em si uma maior quantidade de bile negra; o que nos remete ao nosso texto introdutório, acerca dos antecedentes históricos dessa abordagem, lembra?

Caso você, ainda, não tenha lido te convido a tomá-lo, a fim de conhecer um pouco dessa história.

Mas, bem, voltemos ao nosso foco! Assim como fizemos nos dois textos anteriores, em que tratamos dos temperamentos Sanguíneo e Colérico, vamos agora conversar um pouco sobre as características, forças e fraquezas do temperamento Melancólico.

Como identificar um temperamento Melancólico?

Primeiramente, dois pontos marcantes de quem possui o temperamento Melancólico como preponderante são que, diante dos estímulos externos, ele (a) tem a tendência de habitar em seu mundo interior, o que indica que sua excitabilidade não é tão rápida, porém é profunda, ou seja, permanece ali por muito tempo.

Ao me lembrar do modo como os outros dois temperamentos, já apresentados, agem e/ou reagem aos estímulos externos e no quanto duram neles as emoções, confesso que me admiro, novamente, com tanta beleza e diversidade presente em cada um deles.

E por falar em beleza, vamos às forças presentes no temperamento Melancólico.

Conhecendo as forças

Trata-se de um temperamento com uma sensibilidade ímpar, que o faz capaz de apreciar os valores e as belezas da vida, tais como a música, a dança, a arte, enfim, o que é belo, em todas as suas expressões.

Com base nessa característica não fica difícil inferir que muitos artistas, inventores, filósofos e mestres podem possuir este temperamento como dominante, não é mesmo?

O Melancólico é, também, um amigo leal, daquele que daria a vida por um amigo; é responsável, confiável, perfeccionista, analista, habilidoso, dedicado, conhecedor de suas limitações (raramente se compromete para além do que pode) e reservado, o que torna seu parecer, frente a alguma questão, digno de ser ouvido.

Vejam quanta beleza!

Como vimos nos textos anteriores, todas as forças presentes nos temperamentos possuem fraquezas que lhes são correspondentes, logo, com o Melancólico não seria diferente.

Então, vamos a elas!

As fraquezas de um Melancólico

Considerando, primeiramente, duas de suas forças: a sensibilidade e o perfeccionismo elas podem encontrar correspondência no fato do Melancólico ser mais amuado, o que nos lembra de sua inclinação a se voltar para seu mundo interior.

Ele, também, traz por fraqueza o egocentrismo e o ser antissocial (embora, como vimos, seja um amigo leal).

Neste sentido, por ser muito preocupado consigo, isso faz com que queira, igualmente, que as atenções das pessoas se voltem para ele.

O Melancólico tende, ainda, a se sentir ofendido ou insultado com facilidade sendo, portanto, bastante desconfiado.

É, além disso, um tanto pessimista e crítico, uma vez que, tratamos aqui de um temperamento muito analista, o que pode torná-lo inseguro e temeroso para decidir.

Por fim, como as emoções nele duram bastante o Melancólico, ainda, pode ser inflexível e vingativo, julgando difícil perdoar uma afronta/insulto sofrida.

Ao encerrar esta leitura espero, verdadeiramente, que tenha sido possível conhecer um pouco mais acerca do temperamento Melancólico e, assim, instigar, principalmente, a você que se identificou com ele a buscar saber mais o que, certamente, te aproximará ainda mais de si.

Aproveite para fazer um teste de temperamento e descubra se você é sanguíneo, colérico, melancólico ou fleumático.

Até nosso próximo texto!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *