Para que tanta pressa?

Quem de nós já não ficou incomodado, em algum momento, ao se deparar com demoras?

Sejam estas no trânsito, em filas de banco ou, até mesmo, em diferentes situações de nossa vida que gostaríamos de resolver com urgência…isso tudo é normal; mas, as demoras também podem nos auxiliar e é sobre isso que refletiremos agora.

De onde vem esta pressa toda?

A evolução tecnológica está aí ao nosso redor; hoje, tiramos uma foto e, naquele exato momento, temos a oportunidade de vê-la, apagá-la se necessário, e tirar outra, pois é tudo digital. 

As informações chegam de maneira rápida até nós, consequência da internet e da informatização, e isto é muito bom, é uma conquista que deve ser celebrada sempre. Por outro lado, na vida, precisamos também aprender a esperar, pois é por meio deste aprendizado que amadurecemos.

Independente da rapidez com que muitas coisas vão acontecendo à nossa volta (principalmente no quesito tecnológico, com diferentes mídias e redes sociais), não podemos nem devemos nos deixar enredar pela cultura do imediatismo.

Douglas Rushkoff, professor de estudos de mídia na The New School University de Manhattan escreveu um livro, no qual discorre justamente sobre isso. Vale a pena ler. Chama-se “Present shock: When everything happens now” (“Choque do presente: quando tudo acontece agora”).

Por que tudo precisa ser urgente? Por que tudo precisa ser pra ontem?

Esta é uma pergunta que devemos fazer o tempo todo para nós, pois é provado cientificamente que isso não é saudável para a nossa vida, nem para nossas emoções..muito menos para as relações e aprendizados provenientes destas. Coloca-nos em um estado de aceleração e ansiedade, que faz mal para o nosso corpo todo.

O que fazer?

Precisamos aprender a dar tempo ao tempo e aprender as lições do momento presente, pois do contrário não conseguiremos viver bem o momento futuro tão desejado. É fundamental aprender a respirar fundo, sentar, esperar, aguardar…

Ziza Fernandes, cantora de músicas católicas, compôs uma música chamada ‘Ponto de Partida’ que sempre produz em mim reflexões. Ela diz assim em um determinado trecho: “Pra que tanta pressa de chegar/a nenhum lugar se não se tem/convicção pra acreditar/que quem espera vê além…”

Sempre que a escuto, reflito a respeito do quão importante é o processo da espera para o nosso crescimento pessoal, espiritual e profissional, principalmente quando se acredita que Deus possui o controle de tudo. 

Todos os dias, travamos ferrenhas batalhas com o nosso desejo de apressar as coisas, de querer fazer tudo rápido ou, ainda, ver instantaneamente situações resolvidas em nossa vida, mas frutas amadurecidas à força não possuem sabor.

Então, é chave entender e aprender a conviver com ambas as situações. Não podemos e nem devemos descartar o progresso, a evolução tecnológica, pois estes são fundamentais para o nosso crescimento como ser humano; entretanto, não podemos também nos perder e achar que tudo precisa ser imediato. 

Com equilíbrio e paciência, vamos aprendendo a viver bem e tirar proveito de ambas as situações. Vamos fazer esta experiência?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *