Taxa Selic: Como afeta o seu futuro no investimento

A taxa Selic é importante para a economia do Brasil. Neste post você vai entender como a Selic se movimenta e quais são os impactos causados na economia do pais.

Para você que sonha em fazer o seu primeiro investimento, fique atento, e entenda antes, o básico do mercado financeiro e dos investimentos.

Você sabe como funciona a Taxa Selic?

Não é tão complicado assim. Veja bem. Para te explicar com simplicidade, entenda primeiro que a Taxa Selic está relacionada principalmente a uma necessidade básica de qualquer governo. Ou seja, ter dinheiro para fazer investimentos e pagar dívidas.

É importante você entender aqui, que existem dois tipos básicos de Taxa Selic. A Taxa Selic Over e a Taxa Selic Meta. Fique tranquilo, abaixou eu explico como funcionam as duas.

Taxa Selic Over

A taxa Selic Over, é a taxa de juros praticada quando uma instituição financeira empresta dinheiro para outra e usa, como garantia, os títulos públicos adquiridos no Banco Central.

Taxa Selic Meta

Já a Taxa Selic Meta é a taxa básica da economia Brasileira. Ela serve como parâmetro para outras taxas praticadas no mercado. A tendência é que a Taxa Selic Meta seja a menor taxa na economia do Brasil.

Como a Taxa Selic é calculada 

A Taxa Selic é definida a cada 45 dias pelo COPOM (Comitê de Política Monetária). O COPOM está inteiramente ligado ao Banco Central. Em outras palavras, o cálculo da Taxa Selic, baseia-se em inúmeros indicadores financeiros do país para chegar ao seu valor. Este valor pode se manter constante, ou modificar, para mais ou para menos, a cada 45 dias.

As mudanças na Selic acontecem pois a economia não é estável – e, por isso, é preciso adequá-la ao cenário para que exista um equilíbrio e garantir que o dinheiro continue circulando.

Não confunda a Meta Selic com a taxa Selic realizada. O Copom divulga a meta, mas a taxa Selic mensal é a que consta na tabela acumulada em cada mês. Esta é a que você deve utilizar como referência para rentabilidade de títulos públicos que estão atrelados a esse índice.

Os investimentos e a Taxa Selic

A meta da Selic afeta diretamente os seus investimentos. Ter conhecimento sobre esse assunto pode te ajudar a aproveitar cada cenário da economia para realizar bons investimentos e ganhar dinheiro.

Nos investimentos de renda fixa, em que as taxas de juros são usadas como base para a remuneração das aplicações, a relação com a meta Selic é direta.

Na renda variável, no caso das ações, a relação com a meta Selic está, na maioria das vezes, relacionada a influência da taxa básica de juros na economia.

Selic e investimentos de renda fixa

Em sua maioria, os investimentos em renda fixa são atrelados a taxa de juros, por isso as alterações na Selic afetam diretamente o rendimento desses investimentos.

As aplicações pós-fixadas, como o Tesouro Selic, dependem da variação das taxas de juros durante o período de investimento. Sendo assim, as mudanças na Selic interferem na correção do valor a ser recebido na data do vencimento.

Isso também ocorre com outros títulos privados pós-fixados, bem como CDBs (Certificado de Depósito Bancário), LCIs (Letra de Crédito Imobiliário) e LCAs (Letra de Crédito do Agronegócio), que pagam porcentagens do CDI (taxa de juros que acompanha de perto a Selic).

A situação para os títulos prefixados é um pouco diferente. Se o investidor comprou um título que paga 8% ao ano, as variações da Selic não irão afetar esse rendimento. Sendo assim, na data do vencimento, ele vai receber o valor investido corrigido pela taxa determinada.

Já nos investimentos em renda fixa atrelados aos índices de inflação, a Selic é usada como um mecanismo de controle do índice de preços. É importante saber que quando a Selic aumenta, a tendência é que a inflação caia, e vice-versa.

Qual a influência da taxa na inflação?

Mudanças na Selic funcionam como gatilhos que, ao serem puxados, vão impactar toda a cadeia econômica. Por exemplo, quando o governo precisa desacelerar o crescimento da inflação, o Copom tende a elevar a taxa.

Por exemplo: com a Selic em alta, empresários tendem a diminuir os investimentos dos seus negócios. Isso vai afetar a produção e a geração de empregos. Consequentemente, a renda das famílias e o consumo vão encolher. Dessa forma a inflação tende a cair.

Em contrapartida, com a Selic em baixa, a população passa a consumir mais, pois os preços estão menores. E nesse contexto entra a lei da oferta e demanda, ou seja, quanto mais alta for a procura por um produto x, menor será a disponibilidade deste produto, ocasionando o aumento dos preços.

Resumindo, a principal função desse índice pelos governos e suas equipes econômicas é buscar um equilíbrio no país, estimulando ou não a economia.

Qual o objetivo da mudança no valor da taxa?

A alta da Selic tem um objetivo simples: frear o consumo. Com juros mais altos, as pessoas passam a consumir menos. Como consequência, a inflação tende a cair. Inflação alta impacta tudo o que você consome, portanto, o aumento na Selic é uma estratégia do Banco Central para reduzir o aumento generalizado de preços. 

Como foi dito, a Selic impacta todas as outras taxas da economia.

Se o Copom decidir diminuir a Selic, a taxa dos empréstimos, dos financiamentos e dos investimentos fica menor.

Supondo que o custo de pedir dinheiro emprestado caia, mais empresas vão captar recursos para investir em seu negócio e expandir a produção.

Assim, criam-se mais empregos. Com mais pessoas empregadas, maior será o consumo de toda a sociedade.

Em paralelo, com a queda da taxa de juros, fica menos atrativo deixar o dinheiro guardado. Assim, mais pessoas vão preferir gastar, pois o custo de oportunidade diminuiu.

Por fim, existe a facilitação de financiamento com a queda da taxa.

Naturalmente, mais imóveis e mais automóveis serão financiados, fazendo com que haja crescimento desses setores.

Nesse cenário, a demanda pelos produtos vai crescer mais rápido que a oferta.

Logo, haverá inflação, que é o aumento persistente e generalizado dos preços.

Os preços vão aumentar porque é custoso aumentar a produção para suprir uma demanda maior.

O contrário também é verdadeiro: com uma taxa de juros maior, a economia fica menos aquecida, fazendo, assim, com que diminuam os preços dos bens.

É nesse sentido que a taxa Selic é utilizada como instrumento de política monetária para controlar o índice de preços da economia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *