Turnover: saiba mais sobre a rotatividade de funcionários e seu impacto para a empresa

Turnover ou índice de rotatividade é um indicador de desempenho relacionado ao número de admissões e desligamentos de colaboradores em uma empresa.

Foto do site freepik

Nesse sentido, conhecer o turnover é essencial na hora de tomar decisões relacionadas à gestão de pessoas. Afinal, a formação de uma boa equipe de trabalho é muito importante, seja para evitar prejuízos financeiros ou mesmo para aumentar a produtividade.

Além disso, ele influencia também na imagem da empresa, pois a rotatividade faz parte da percepção do cliente sobre a capacidade de consistência do seu negócio.

Já deu para perceber que o turnover é importante, não é mesmo? Então fique por aqui e saiba mais sobre esse indicador de desempenho.

Entendendo melhor o turnover

Turnover é um termo em inglês que significa reversão ou renovação. Na área de Gestão de Pessoas, turnover diz respeito à rotatividade de funcionários em uma empresa. Ele também é conhecido como índice de rotatividade e é calculado a partir da relação entre o desligamento e a admissão de novos colaboradores. 

Pode-se afirmar, portanto, que o turnover é um dos indicadores mais importantes em processos de gestão de pessoas. Assim, ele está relacionado não somente com demissões e contratações, mas também com aposentadorias, fatalidades, transferências, afastamentos e outras ocorrências.

Importante ressaltar, ainda, que a rotatividade de colabores nem sempre é algo ruim. É necessário, contudo, uma avaliação para saber se está de acordo com as metas e objetivos traçados pela empresa.

Turnover externo e interno

Turnover externo está relacionado à taxa de funcionários demitidos ou deixando a empresa, seja por pedido de demissão ou mesmo em decorrência de aposentadoria ou licenças, por exemplo.

O turnover interno, por sua vez, diz respeito à migração de colaboradores para outras funções ou departamentos dentro da empresa. Assim, postos de trabalho ficam “vazios”, necessitando de outro profissional para ocupar a vaga. 

Em outras palavras, o turnover interno pode indicar rotatividade excessiva, mesmo sem perder seus colaboradores.

De acordo com a Sólides, apesar de ter um potencial de danos parecido com o do turnover externo, o interno pode ser controlado ou mesmo revertido por políticas bem estruturadas e aplicadas de gestão de pessoas, como, por exemplo, sistemas de recrutamento e avaliação internos, planos de carreira e sucessão, além de alternância de funções e posições.

Importância de medir o turnover

Conhecer a taxa de turnover é fundamental para a determinação de políticas de recursos humanos dentro de qualquer empresa. Isso inclui treinamentos, benefícios e programas de retenção de talentos.

Causas do turnover 

O turnover tem várias causas. Pode ser más condições de trabalho ou mesmo má remuneração. Vamos apresentar aqui uma lista de possibilidades:

  • Desvio de funções;
  • Falta de feedback e reconhecimento;
  • Ausência de plano de carreira;
  • Promoções feitas à base de favoritismo;
  • Ambiente hostil, assédio sexual, perseguições, punições, antipatias, desmandos e comunicação ineficiente;
  • Liderança ruim, assédio moral;
  • Rotina levando à exaustão, sobrecarga, desgaste físico e emocional;
  • Cultura organizacional tóxica;
  • Tratamento diferenciado entre colaboradores;
  • Falta de oportunidades para o crescimento profissional;
  • Incompatibilidade com a vaga;
  • Busca de maiores salários.

Impacto para as empresas

Uma determinada taxa de turnover, para ser considerada boa ou ruim, precisa ser avaliada dentro do contexto empresarial, ou seja, uma certa taxa de rotatividade é admissível e pode até ser necessária.

Foto do site freepik

No entanto, um alto índice de turnover gera uma série de consequências negativas para a empresa e, por isso, adotar medidas para evitá-lo é uma atitude bem sensata. Veja, agora, alguns impactos que podem ser observados quando existe uma alta taxa de rotatividade:

  • Custos com encargos trabalhistas;
  • Redução da produtividade;
  • Piora do clima organizacional;
  • Despesas com divulgação de vagas;
  • Despesas com treinamento e integração;
  • Gargalos na gestão;
  • Imagem negativa da empresa;
  • Dificuldade de preencher novas vagas.

Saiba como evitar a alta rotatividade em sua empresa

Como já foi dito, uma certa rotatividade é tolerável e até mesmo desejada, se estiver dentro das estratégias do negócio, mas deve-se evitar uma alta taxa de rotatividade. Afinal, ela causa impactos na produtividade e na parte financeira da empresa. 

Existem, portanto, maneiras de evitar uma alta rotatividade. A sua empresa pode:

  • Oferecer oportunidades de crescimento;
  • Promover treinamentos com regularidade;
  • Deixar a equipe participar de decisões estratégicas;
  • Oferecer cursos e treinamentos;
  • Dar feedbacks construtivos;
  • Promover uma liderança acessível e aberta;
  • Aperfeiçoar os processos de contratação;
  • Trabalhar a motivação dos funcionários;
  • Aprimorar a política de cargos e salários e oferecer um bom plano de carreira;
  • Proporcionar outros benefícios além do salário;
  • Proporcionar um ambiente de trabalho agradável;
  • Implementar uma jornada de trabalho flexível;
  • Criar um código de cultura com os valores, objetivos e missão da empresa, de modo que as entrevistas, as contratações e os processos internos sempre aproximem os colaboradores da realidade cultural da empresa.

Tipos de turnover

As várias possibilidades envolvidas nos motivos pelos quais um funcionário é desligado de uma empresa, nos leva a diferenciar o turnover, conforme o tipo. Ele pode ser voluntário, involuntário, voluntário funcional e voluntário disfuncional.

Dessa forma, o turnover é voluntário, quando o colaborador pede demissão, ou involuntário, quando é a empresa que resolve demitir. Saber a diferença é importante, pois cada uma delas exige técnicas de gerenciamento diferentes.

Além disso, o turnover voluntário pode ser funcional ou disfuncional. No caso de ser funcional, o impacto é menor para a empresa, pois pode se tratar da saída de colaboradores com baixo desempenho ou que desempenham uma função fácil de substituir.

Por outro lado, o turnover voluntário disfuncional é aquele que causa impactos negativos para a empresa, pois pode significar a saída de colaboradores com habilidades difíceis de substituir, por exemplo.

Como calcular

O cálculo da taxa ou índice de turnover é simples: basta somar o números de colaboradores demitidos e admitidos e dividir por 2 (dois). O valor encontrado, então, deve ser dividido pelo número total de colaboradores da empresa e, depois, multiplicado por 100 (cem). Assim teremos o valor em porcentagem. Veja o exemplo:

Imagine uma empresa que, ao longo de um ano, tenha admitido 16 colaboradores e registrado a saída de 8 pessoas. Tenha em mente, ainda, que ela possui um total de 150 colaboradores. Qual é a taxa de turnover dessa empresa?

A conta é a seguinte: 

(16 + 8) / 2 = 12

12/ 150 = 0,08

0.08 x 100 = 8%

Assim, a taxa de turnover dessa empresa é de 8%. 

Você acha que esse resultado é bom ou ruim? 

A resposta certa é: Depende!

De modo geral, a taxa de turnover ideal deve ser menor que 10% ao ano. No entanto, é preciso considerar os objetivos, as necessidades e outras métricas definidas pela empresa. Assim, pode-se afirmar que as taxas podem ser flexíveis e individualizadas. 

Portanto, cabe ao RH de cada empresa estabelecer um turnover que seja aceitável ou mesmo que tenha um valor considerado ideal, sempre avaliando e tomando as medidas cabíveis para cada situação.

Conclusão

Vimos, neste artigo, o que é o turnover, tipos, impacto nas empresas e como calcular. Você também ficou sabendo a respeito dos possíveis motivos da saída de colaboradores, bem como maneiras de mantê-los na empresa.

Dessa forma, você agora já tem informações importantes para avaliar a taxa de turnover da sua empresa e, a partir do resultado, realizar um planejamento estratégico para criar medidas preventivas de impacto, reter seus talentos e melhorar sua produtividade e claro, evitar gastos desnecessários!

Por fim, tenha em mente que, para saber se o turnover é bom ou ruim, é necessário analisar a situação e identificar se o que está acontecendo na empresa é positivo ou negativo.

Que tal saber mais sobre outros indicadores de desempenho? Aqui, na TargetDev, tem artigos falando sobre eles. Você pode começar conferindo este: “Saiba porque o ROI é importante para a sua empresa e aprenda a calcular”. Boa leitura!

Sobre Karine Iria

Mestra e Doutora em Economia Doméstica

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.