Vantagens da adubação orgânica na produção de café

Produzir café de qualidade exige muitos cuidados e a atenção com o solo é um deles. Nesse sentido, a adubação orgânica apresenta vantagens importantes a serem consideradas.

Adubação Orgânica
Foto de Pixabay

A adubação do cafezal é uma necessidade, no entanto, nem sempre ela é feita de forma correta.

Para que os grãos produzidos obtenham alta classificação é importante que recebam uma nutrição adequada.

Além disso, solos de má qualidade é uma preocupação a mais para os cafeicultores, exigindo maiores cuidados.

O uso inadequado de fertilizantes agrava ainda mais o problema. Eles acabam sendo ineficazes quando o que falta mesmo no solo é matéria orgânica.

Neste artigo veremos que essa matéria orgânica pode ser reposta por meio da adubação orgânica. Os adubos orgânicos fornecem nutrientes às plantas e melhoram a condições físicas e biológicas do solo.

Fique por aqui e saiba mais sobre as vantagens da adubação orgânica na produção de café!

O que é adubação orgânica

O adubo orgânico é muito utilizado na agricultura e é o preferido pelos produtores que se preocupam com a saúde e o meio-ambiente.

A adubação orgânica é a prática de colocar resíduos orgânicos no terreno. Pode ser:

– Esterco

– Urina

– Restos de animais

– Palhas

– Capins

– Lixo

– Serragem

– Restos de culturas e capinas

– Cama de estábulos ou galinheiros

– Bagaços

– Farinha de ossos e farinha de carne, entre outros.

Eles se decompõem e se transformam em húmus.

Adubação orgânica – nutrição e crescimento

Em outras palavras, a adubação orgânica usa resíduos de origem vegetal e animal, com alto teor de componentes orgânicos. Isso favorece a nutrição e o crescimento das plantas.

Adubo Orgânico

As plantas absorvem facilmente os nutrientes em um solo orgânico, sem produtos químicos que prejudicam o meio ambiente.

Além disso, o produtor tem um ganho econômico, pois o adubo orgânico é de baixo custo.

De acordo com dados disponibilizados pela Emater-MG, a adubação orgânica diminui o gasto com adubo mineral. Por exemplo: 10 toneladas de esterco fresco de bovinos correspondem a 50 kg de ureia, 50 kg de superfosfato triplo e 50 kg de cloreto de potássio.

No entanto, chama a atenção o fato de que somente o uso de adubos orgânicos não resolve o problema para garantir ou aumentar a fertilidade dos solos.

A adubação mineral e a adubação orgânica se completam. Nenhuma delas isoladamente satisfaz as exigências nutricionais das culturas.

Por isso, para fornecer os nutrientes adequados, é importante estar atento ao material empregado em seu preparo.

Origem do adubo orgânico

O adubo orgânico pode ser de origem animal, como suínos, frango e gado ou de origem vegetal, a partir de plantas e restos culturais.

Adubação orgânica de origem animal

O adubo orgânico de origem animal mais conhecido, a princípio, é o esterco. Ele é formado por excrementos sólidos e líquidos dos animais e pode estar misturado com restos vegetais.

O esterco, ou estrume, é muito utilizado em hortas e em plantações em geral. Ele tem um alto potencial como fertilizante, especialmente quando misturado a outros tipos de adubos orgânicos.

No entanto, antes de ser utilizado, esse tipo de adubo precisa passar por uma compostagem prévia. Isso porque há o risco de contaminação por microrganismos nocivos presentes nas fezes.

Na compostagem, os dejetos são juntados a materiais no chão e revirados a cada três dias, para evitar muita umidade. Leva cerca de um mês para que o adubo fique pronto para a aplicação.

O resultado é um composto orgânico cheio de nutrientes que fortalecem as raízes das plantas.

Sendo assim,e uma técnica que traz muitas vantagens para o meio ambiente e para a saúde pública, sendo aplicada tanto no meio urbano quanto no rural.

Sua composição é muito variada. São bons fornecedores de nutrientes, tendo o fósforo e o potássio rapidamente disponível. O Nitrogênio fica na dependência da facilidade de degradação dos compostos.

Adubação orgânica de origem vegetal

A adubação verde ou adubação orgânica de origem vegetal, consiste no plantio de determinadas espécies de plantas.

É uma técnica agrícola que promove a reciclagem de nutrientes do solo e o torna mais fértil.

Do mesmo modo, possui muitas vantagens nos sistemas agrícolas, evitando o desenvolvimento indesejado de ervas daninhas e diminuindo as perdas de água no solo.

Isso leva a uma redução de gastos, pois o investimento em adubos químicos, controle de plantas daninhas e descompactação do solo reduz consideravelmente.

Adubação orgânica na produção de café

Pode-se afirmar que o uso de adubos orgânicos na cafeicultura apresenta importantes vantagens.

Como já dito, no início desse artigos, os adubos orgânicos fornecem nutrientes às plantas e melhoram a condições físicas e biológicas do solo.

Produção de Café
Foto de Pixabay

Porém, para que ofereça o retorno desejado, eles devem ser usados corretamente. A aplicação em cobertura, junto às plantas tem sido o modo mais favorável.

A princípio, as principais fontes de matéria orgânica, disponíveis nas regiões cafeeiras, têm sido a palha de café, o esterco de curral e o esterco de galinha.

Além disso, as exigências nutricionais do cafezal tendem a mudar de acordo com a fase do café, ou seja, as características do adubo tendem a ser diferentes para cada fase do desenvolvimento do café.

Nesse sentido, para alcançar maior produtividade, é importante considerar as necessidades de cada lavoura.

É preciso analisar suas características vegetativas e produtivas; a disponibilidade de nutrientes do solo; e o equilíbrio das características da planta com a disponibilidade do solo.

Com essas informações é possível indicar o adubo mais apropriado, suas doses e modos de utilização.

Além disso, deve-se escolher as cultivares mais adequadas e resistentes conforme a região do plantio.

Adubação orgânica e gases de efeito estufa

A utilização de adubação orgânica na produção de café diminui a emissão de gases de efeito estufa. Em outras palavras, confere menor risco ambiental. Conheça mais sobre esse assunto em nosso artigo sobre a produção de café carbono neutro.

Adubação do café orgânico

A produção de café orgânico exige a realização de adubação orgânica.

Assim, a cafeicultura orgânica exclui o uso de agrotóxicos e de adubos minerais de alta concentração e solubilidade, pois se fundamenta em princípios agroecológicos.

Nesse sentido, a adubação se baseia no uso de: estercos; compostos orgânicos; adubos verdes; torta de mamona; farinha de ossos; preparados tipo Bokashi. Além de outras fontes alternativas previstas na legislação vigente.

Conclusão

Na produção de café, os adubos orgânicos são capazes de melhorar a qualidade do solo.

Eles proporcionam ao solo os nutrientes necessários para que a planta possa se desenvolver com qualidade.

Não há como negar que a cafeicultura intensiva em agroquímicos intensifica a crise econômica e ecológica enfrentada atualmente.

Nesse sentido, a adubação orgânica é uma excelente alternativa, aliada a outros recursos, para o produtor que deseja reduzir seu custo de produção e cuidar do meio ambiente.

Sobre Karine Iria

Mestra e Doutora em Economia Doméstica

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.