Você já sofreu com comparações?

Todos os seus amigos já têm carteira de habilitação, aquele seu novo colega de trabalho já está batendo as metas mais altas na empresa, você é o (a) único (a) solteiro (a), no grupo de seus amigos”… E essa lista poderia seguir, indefinidamente, não é mesmo?

Certamente, você se lembrou de outros exemplos, afinal quem nunca passou por comparações na família, na escola ou vivenciou isso no trabalho, ou no grupo de amigos? Que levante a mão direita!

Em nosso artigo de hoje vamos falar sobre elas, as famosas comparações! Por isso, fique conosco e faça uma boa leitura!

Ao final, deixe nos comentários um pouquinho da sua experiência também. Ficaremos felizes em ler e comentar a sua postagem!

O desenvolvimento nosso de cada dia!

Desde pequenos somos apresentados a inúmeras situações que vão formando nossa personalidade e caráter. Por isso, gosto de pensar a vida como um processo, em que vamos nos tornando pessoas, a partir das experiências que vivemos. Logo, nenhum de nós pode dizer que já está pronto, pelo contrário, somos seres em desenvolvimento.

Algumas abordagens da Psicologia nos ensinam que esse processo de formação se inicia na família, se estende para a escola e a partir daí para todo o nosso círculo de convivência.

Então, seguimos sendo formados, ao longo da vida, porém, nem sempre nos damos conta disso!

Não sei se é este o seu caso, mas muitos de nós viemos de ambientes em que as comparações estiveram sempre presentes. Talvez, por isso, hoje, nos seja um desafio superar o triste hábito da comparação.

Uma vida em contexto…

Ao crescermos ouvindo expressões como: “Por que você não é como o seu primo”; “Veja como o seu colega já aprendeu isso ou aquilo”, dentre outras tantas, passamos a acreditar que ser, simplesmente, como somos pode não ser o bastante, para que sejamos amados. Isso pode influenciar, profundamente, a maneira como passaremos a olhar para nós mesmos.

Embora possa ser um tanto quanto desconfortável, olhar para a nossa história e identificar nela alguns desses, possíveis, contextos em que fomos comparados com irmãos, primos, colegas etc. isso pode nos ajudar a entender muitos de nossos atuais comportamentos.

Contudo, não paremos nas recordações!

Agora, podemos escolher como seguir: reclamando, por não sermos como este (a) ou aquele (a), ou mesmo, não termos o que ele (a) possui, ou, então, reconhecermos o ponto em que estamos e, a partir dele, buscarmos avançar.

Neste momento, gostaria de lembrar o quanto o autoconhecimento é importante em nosso processo de desenvolvimento e amadurecimento.

Quanto mais nos conhecermos, mais saberemos identificar nossos limites e potencialidades, bem como lidar conosco mesmos.

Chega de se comparar! Viva o seu processo!

O que não é novidade pra ninguém, mas que muitos de nós nos esquecemos é o seguinte: Somos únicos no universo! Portanto, temos nossa própria história, recheada de medos, alegrias e, em função disso, uma maneira, também, única de experienciar a vida ao nosso redor.

Com base nesse entendimento, é possível afirmar que a comparação é, de fato, algo limitante e cruel. Ela coloca outro ser humano, detentor de histórias, igualmente, únicas, logo, diferentes, como um ideal a ser seguido. Ao agir assim, despreza-se todo o itinerário de ambos que, por sua vez, torna compreensível o fato de estarem onde, atualmente, estão.

Diante do que refletimos, neste artigo, que tal dar um basta nas comparações com terceiros? Acolha a sua história, com tudo o que ela tem de belo e desafiador e, a partir de então, proponha-se a dar os seus passos e não os de outros. Viva o seu processo! Há algo a mudar, com base em sua história? Mãos à obra!

Gostou do artigo? Compartilhe com os seus amigos! E, agora, que tal dividir com a gente um pouquinho de sua experiência também?

8 comentários em “Você já sofreu com comparações?”

    1. Claudete de Freitas da Silva

      Obrigada Ana! Sim! É importante observarmos sempre os reflexos dessa comparação em nossa vida adulta e, a partir daí, buscarmos meios para avançarmos! Fique com a gente em nossos próximos textos!

  1. Bom dia, amei esse artigo parabéns Claudete, como costumo dizer todos nós somos como uma borboleta 🦋 e passamos por metamorfose, mas desde o casulo até a fase da borboleta cada um tem seu jeito, e seu tempo de alcançar a fase da borboleta 🦋 pq somos únicos.

    1. Claudete de Freitas da Silva

      Obrigada Luciana! Que bom que gostou do artigo! E isto é mesmo um fato: Somos únicos! Por isso é fundamental que nos acolhamos assim! Por aqui temos sempre artigos que nos ajudam em nosso processo de amadurecimento!

    2. Claudete de Freitas da Silva

      Oi Luciana! Que bom que gostou do artigo! De fato, somos seres únicos! Por aqui temos sempre textos que nos ajudam a refletir sobre o nosso processo de desenvolvimento e a avançar, por isso fique sempre com a gente! Forte abraço!

    3. Claudete de Freitas da Silva

      Oi Luciana! Que bom que gostou do artigo, que lhe fez refletir! Por aqui temos sempre textos que nos auxiliam em nosso processo de autoconhecimento e nos ajudam a avançar. Fique sempre conosco! Forte abraço!

  2. MARIA+DO+CARMO+SILVA+SANTOS

    Excelente o texto! Super verdadeiro. Como é fundamental em nosso dia a dia nos libertarmos das amarras da comparação e enxergarmos a nossa própria riqueza.

    1. Claudete de Freitas da Silva

      Obrigada Maria do Carmo! É importante darmos atenção ao modo como nos comportamos, frente às situações de nosso cotidiano para, assim, avançarmos em nosso amadurecimento! Forte abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *